Diferença de pagamento no Bolsa Família desperta posicionamento do Congresso

A região Nordeste teve a sua participação reduzida nas novas concessões de pagamento no Bolsa Família. Essa diferença despertou a reação dos parlamentares do Congresso e órgãos de controle.

Diferença de pagamento no Bolsa Família desperta posicionamento do Congresso
Diferença de pagamento no Bolsa Família desperta posicionamento do Congresso (Imagem:Reprodução/ Google)

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) alertou que esse fato de diminuir a concessão para a região pode significar o rompimento com o governo.“Isso pode significar o rompimento do Nordeste com o governo federal”, avisou. A bancada do Nordeste tem 151 deputados e 27 senadores.

Leia também: Quais critérios para receber o Bolsa Família? Ministro Onyx vai ter que esclarecer

Porém, o Ministério Público em conjunto com o Tribunal de Contas da União (MP-TCU), solicitou a abertura de uma auditoria para que possa realizar a verificação da regularidade das concessões do programa. 

Tasso, foi o relator da reforma da previdência e é considerado um dos parlamentares alinhados com à agência de reformas da equipe econômica.

Ele divulgou em uma de suas redes sociais, um vídeo chamando essa distribuição menor de benefícios para o Nordeste de “extravagância perversa”. A região possui o maior número de famílias em situação de pobreza e extrema pobreza no país. 

No mês de janeiro, o governo priorizou o pagamento do Bolsa Família para as famílias das regiões Sul e Sudeste do país que ficaram com 75% das novas concessões, já as famílias do Nordeste responderam apenas por 3,0% das inclusões.

De acordo com o senador, ainda será solicitada a convocação do ministro da cidadania, Onyx Lorenzoni, ao Congresso Nacional para dar explicações sobre essas novas concessões do programa social. Ao ser convocado, o ministro não pode recusar, ele é obrigado a comparecer. 

O subprocurador-geral do MP-TC, Lucas Rocha Furtado, solicitou a abertura de uma auditoria, alerta que uma “política discriminatória”, se for confirmada, irá configurar “flagrante desvio de finalidade pública”.

O Nordeste correspondia por 35% a 39% dos novos benefícios pagos por meio do Bolso ao longo do ano passado.

Leia também: Cashback Banco Inter: aprenda a usar o benefício

O Ministério da Cidadania diz que “são priorizadas as cidades que apresentam menor porcentual de cobertura do programa frente à estimativa de famílias em situação de pobreza”. Mas a pasta não detalha as razões para a fatia do Nordeste ter caído mais de dez vezes num mês de maior liberação de benefícios.

Jheniffer FreitasJheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.