Crise do petróleo? Saiba como a queda reflete no mundo

Crise do petróleo causará impactos mundiais. Desde o início do ano, o valor do combustível vem caindo consideravelmente, registrando a maior baixa na cotação do barril desde 1991. Até então, foi contabilizada uma redução de 30% no preço do produto, fazendo com governos e demais instituições fiquem em estado de alerta.

Crise no petróleo? Saiba como a queda reflete no mundo (Imagem: Reprodução - Google)
Crise no petróleo? Saiba como a queda reflete no mundo (Imagem: Reprodução – Google)

Segundo especialistas, a diminuição brusca no valor do petróleo irá gerar impactos a nível mundial. Entre os desdobramentos, haverá perdas econômicas no que diz respeito a produção e consumo de produtos, impactos ambientais pelos entraves nas usinas eólicas e queda na arrecadação com royalties.

Leia também: Petróleo tem alta impactante após desentendimentos entre EUA e Irã

Impactos da crise do petróleo no Brasil

O primeiro grande impacto na economia nacional virá para a Petrobras. Ocasionando em maiores dificuldades para a venda de ativos administradas pela estatal, que deverá sofrer uma queda em suas cotações nacionais e internacionais.

No que diz respeito a arrecadação de impostos, com o petróleo mais barato, os estados e municípios terão recebimentos do ICMS menores. Essa redução pesará nos cofres públicos municipais e estaduais, interferindo na agenda de ações e custeio dos gestores.

Já para os leilões de petróleo, mesmo com três agendamentos marcados para ocorrer ainda esse ano, a queda do preço refletirá diretamente nos interesses dos investidores, que além de pagar mais barato, lidarão com a incerteza sobre a validez da compra.

Por fim, o último cenário nacional está relacionado a falta de interesse pelo etanol, tendo em vista que a redução no valor da gasolina fará com que o combustível caia em desuso. Nesse caso, as usinas sofrerão perdas em suas receitas e poderão vivenciar uma crise no setor.

Leia também: Restituição do IRPF 2020 pode ser antecipada? Saiba como conseguir

Impactos mundiais

A nível mundial, o primeiro grande impacto com a crise do petróleo diz respeito aos investimentos em energias renováveis, que passarão a ficar cada vez mais escasso.

Com o petróleo mais barato, o interesse por práticas como energia solar e eólica, por exemplo, reduzirá pois o serviço é mais caro. Desse modo, os ambientalistas se preparam para estruturarem estratégias de redução nas mudanças climáticas.

Outro ponto também importante é o fato de que países como Iraque, Irã e Nigéria, deverão entrar em crise, pois têm como principal renda a comercialização do combustível.

Nas demais regiões do globo, ainda não se sabe exatamente quais os efeitos, mas espera-se que potencias como a Arábia Saudita e Rússia, sejam abaladas, o que interfere nas relações comerciais de todo o mundo.

Eduarda Andrade
Mestre em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Atualmente se divide entre a edição do Portal FDR e a sala de aula. - Como jornalista, trabalha com foco na produção e edição de notícias relacionadas às políticas públicas sociais. Começou no FDR há três anos, ainda durante a graduação, no papel de redatora. Com o passar dos anos, foi se qualificando de modo que chegasse à edição. Atualmente é também responsável pela produção de entrevistas exclusivas que objetivam esclarecer dúvidas sobre direitos e benefícios do povo brasileiro. - Além do FDR, já trabalhou como coordenadora em assessoria de comunicação e também como assessora. Na sua cartela de clientes estavam marcas como o Grupo Pão de Açúcar, Assaí, Heineken, Colégio Motivo, shoppings da Região Metropolitana do Recife, entre outros. Possuí experiência em assessoria pública, sendo estagiária da Agência de Desenvolvimento Econômico do Estado de Pernambuco durante um ano. Foi repórter do jornal Diário de Pernambuco e passou por demais estágios trabalhando com redes sociais, cobertura de eventos e mais. - Na universidade, desenvolve pesquisas conectadas às temáticas sociais. No mestrado, trabalhou com a Análise Crítica do Discurso observando o funcionamento do parque urbano tecnológico Porto Digital enquanto uma política pública social no Bairro do Recife (PE). Atualmente compõe o corpo docente da Faculdade Santa Helena e dedica-se aos estudos da ACD juntamente com o grupo Center Of Discourse, fundado pelo professor Teun Van Dijk.