Como o coronavírus influencia na economia mundial; entenda!

Em evidência desde o mês de janeiro, o avanço do coronavírus vem gerando impactos econômicos em diversas regiões do mundo. Ao todo, mais de 80 países já foram infectados pela epidemia, resultado no fechamento de fábricas, comércios e demais serviços. Segundo os economistas, a doença resultará em abalos grandiosos no mercado global e poderá ocasionar crise em diversas regiões.

Como o coronavírus influencia na economia mundial; entenda! (Imagem: Reprodução - Google)
Como o coronavírus influencia na economia mundial; entenda! (Imagem: Reprodução – Google)

O país mais infectado, até então, é a China, que registrou o maior número de mortos. É válido ressaltar que trata-se do território com um dos maiores poderes aquisitivos e econômicos do que diz respeito a importação e exportação de serviços.

Desde o início de divulgação da doença, foram encerradas milhares de atividades de produções, aulas estão suspensas, eventos cancelados e serviços paralisados por tempo indeterminado.

Leia também: Impactos do coronavírus na economia poderão ser medidos em 2 semanas

Mediante a essa situação, o mercado vem sendo abalado tendo em vista que a forma de consumo e as atividades econômicas estão travadas. Mesmo nas cidades que não estão de quarentena, apenas a suspeita da proliferação do vírus fez com que empresas fechassem suas portas e investidores parassem de depositar suas econômicas na indústria.

Até mesmo o mercado do mel foi impactado com a chegada da doença. Segundo o governo chinês, registrou-se a maior queda de comercialização do produto, tendo em vista que as viagens de contenção do surto limitam as atividades dos apicultores.

Sem a manutenção das colmeias, as abelhas ficam sem alimentos por semanas e morrem, gerando uma crise no setor.

Demais países com economia abalada após o coronavírus

Após a China, as regiões mais afetadas até então são a Coreia do Sul, Itália, Irã e Japão, que tiverem escolas, universidades, centros comerciais e demais atividades completamente encerradas.

Programações como shows, eventos culturais, exposições e até mesmo festivais vem sendo cancelados. Outro ponto importante é que o número de viagens internacionais para essas regiões vem registrando a maior baixa da história, devido ao risco de infecção.

Leia também: CNH Social: saiba quem tem direito ao programa

Na Itália, por exemplo, o governo ordenou o fechamento de escolas e universidades até o dia 15 de março, na expectativa de conter o número de contaminados. No Japão, a situação é similar, os estudantes tiveram suas férias prolongadas e ainda não sabem quando poderão retomar suas atividades escolares.

Na Suíça, foi cancelada a organização do Salão de Genebra 2020 e na França a meia maratona, que conta com mais de 40 mil participantes, também foi suspensa. Já em Londres, o HSBC dispensou mais de 100 funcionários de suas empresas para que eles exercessem as atividades de cada. O mesmo aconteceu nos EUA, com marcas como a Amazon e o Facebook.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA