O Microempreendedor Individual (MEI) é uma grande ferramenta para os trabalhadores que querem formalizar os seus serviços. Porém, em alguns casos, o trabalhador decide encerrar o MEI para buscar outras formas de sustento.

publicidade
MEI: quer cancelar seu registro? Entenda como funciona
MEI: quer cancelar seu registro? Entenda como funciona (Imagem/ Montagem Google)
publicidade

O Empreendedor pode encerrar o MEI sem nenhum tipo de taxa de cancelamento, mas deve se atentar aos possíveis débitos abertos ao DAS (Documento do Simples Nacional), tributo pago mensalmente.

Leia MaisMEI pode ter faturamento anual ilimitado? Saiba como funciona

O processo de baixa do MEI é feito totalmente pela internet no Portal Do Empreendedor. Para começar o empreendedor vai precisar de um código de acesso.

Caso não tenha o código, será necessário gerar um no site da Receita Federal Simples Nacional. Não se esqueça de guardar a informação de forma segura.

Voltando ao Portal do Empreendedor, o usuário deve acessar a página procurar por “Já sou MEI”, depois escolher “Fechar sua empresa”. O próximo passo é informar o código de acesso, o CNPJ e o CPF, e clicar em prosseguir.

Ao aparecer o Formulário de Baixa, fique atento aos dados para ter certeza que estão corretos, leia tudo com atenção e faça a confirmação marcando o campo em branco. Após este passo, clique em continuar

Após verificar todos os dados apresentados, clique em confirmar e em seguida, clique no botão enviar. Na sequência, aparecerá o CCMEI (Certificado da Condição do Empreendedor Individual), notificação que informa que a baixa do registro foi efetuada com sucesso.

É importante que esse processo seja feito caso o empreendedor não vá dar sequência ao negócio registrado, já que se o registro permanecer aberto, continuará gerando débitos junto ao governo

Saiba mais sobre o MEI

Em 1 de julho de 2008, o Microempreendedor Individual foi criado no Brasil para que os trabalhadores informais estivessem dentro da legalidade e, principalmente, promovendo a formalização com uma carga tributária reduzida.

O programa atua em sistema virtual, através de formas que independem de estabelecimento fixo, como Internet, porta-a-porta, máquinas automáticas, correios, e outros meios virtuais previstos em lei.

Leia Mais: Concursos públicos no país são paralisados e estudantes tomam atitude

O MEI trabalha por conta própria e se legaliza como pequeno empresário, desde que fature no máximo 81 mil reais por ano, não tenha participação em outra empresa como sócio, administrador ou titular. E tenha no máximo um empregado contratado que receba o salário mínimo ou o piso da categoria.

 

Paulo Henrique Oliveira, formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo, atua como do redator do portal FDR produzindo matérias sobre economia em geral e também como repórter do site Aparato do Entretenimento cobrindo o mundo da TV e das artes.