Aprenda a financiar a casa própria usando recursos do Minha Casa, Minha Vida

O sonho da casa própria é comum entre muitos brasileiros. E contar com a ajuda do governo para alcançar suas metas, vale muito. O poder público concede por meio do programa Minha Casa Minha Vida condições diferenciadas para pessoas de baixa renda terem acesso ao seu imóvel.

Aprenda a financiar a casa própria usando recursos do Minha Casa, Minha Vida
Aprenda a financiar a casa própria usando recursos do Minha Casa, Minha Vida (Foto: Reprodução Google)

O governo federal informou recentemente, reformulações no programa que agora passa a dar prioridade para municípios com ate 50 mil habitantes.

Os beneficiários também vão contar com maior liberdade para definir como será a casa, pois haverá três tipos de vouchers, um sistema de vale dividido em: compra, construção e reforma.

Leia mais: Minha Casa Minha Vida entrega 100 imóveis no interior do Mato Grosso do Sul

Atualmente, o beneficiário recebe a casa pronta da construtora. Com a reformulação, o requerente irá receber um voucher que é um documento fornecido para comprovar um pagamento ou que comprove o direito a um produto, para poder escolher como a obra será feita, incluindo a escolha do engenheiro e a arquitetura do imóvel.

Na época em que foi anunciado, Gustavo Canuto que era ministro do Desenvolvimento Regional, disse que a disponibilização do voucher vai permitir que a pessoa beneficiada participe da construção, do projeto e de onde será feita a casa.

“Muitas vezes a família precisa ou quer uma casa mais simples e maior. Outra, com cômodos menores e mais qualidade de acabamento. A gente quer deixar isso a critério do beneficiário”, disse.

O valor dos vouchers vai depender dos preços correntes no mercado imobiliário do local onde a casa será construída e o programa trabalha com o valor de R$60 mil em media para os três tipos do voucher: aquisição para quem deseja comprar o imóvel pronto, da construção para começar a casa do zero e o da reforma para quem deseja reparos ou ampliações das casas já existentes.

O governo de início pretende disponibilizar os vales para famílias que contam com renda mensal de até R$1.200. Famílias com renda entre R$1.200 e até R$5 mil mensais entrarão no programa de financiamento do Minha Casa Minha Vida.

Leia mais: Vagas abertas em Americana: estágio com salários de R$800

Canuto também contou que o objetivo é oferecer juros menores que os atuais. “Hoje a faixa é de 5% (ao ano). A gente quer baixar isso para 4,5% ou 4% para ficar mais competitivo. Essa é a premissa base”, ressaltou.

O governo estima que as mudanças contribuam na construção de 400 mil unidades já em 2020.

Hoje, o atual do ministro do Desenvolvimento Regional é Rogério Marinho. Desde que assumiu o cargo em 12 de fevereiro, o administrador conseguiu a liberação de R$47 milhões para o programa.

Essa quantia vai dar fôlego para os financiamentos atrasados, mas não conseguirá sustentar todas as despesas do Minha Casa Minha Vida.

Quem quiser solicitar um empréstimo hoje, pode contar com a Caixa Econômica Federal e aguardar a liberação da verba. Levando até o banco todos os documentos que comprovem sua renda.

 

 

 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira, formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo, atua como do redator do portal FDR produzindo matérias sobre economia em geral e também como repórter do site Aparato do Entretenimento cobrindo o mundo da TV e das artes.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA