ANÚNCIO

Mudanças em Brasília. Após o comunicado de saída de Osmar Terra do Ministério da Cidadania, o presidente Jair Bolsonaro repassa o cargo para um novo aliado. Na tarde dessa terça-feira (18), Onyx Lorenzoni foi nomeado o novo representante parlamentar dos programas sociais do governo. Ele será responsável por coordenar projetos como o Bolsa Família, por exemplo, que está passando por reformulações.

Ministério da Cidadania nomeia novo administrador para programas sociais (Imagem: Reprodução - Google)
Ministério da Cidadania nomeia novo administrador para programas sociais (Imagem: Reprodução – Google)
ANÚNCIO

Entre suas funções, o parlamentar terá que atuar na área de desenvolvimento social, monitorar a eficácia do Criança Feliz, Cadastro Único e Bolsa Família. Além de fornecer suporte para a Secretaria Especial de Esporte.

Deputado federal desde 2003, Onyx já vinha sendo cotado por Bolsonaro há anos. Durante sua campanha eleitoral, o presidente realizou uma serie de articulações políticas em parceria com o parlamentar. Ao tomar posse, o colocou enquanto ministro da Casa Civil e na sequência o transferiu para o ministério da cidadania.

Leia também: Saque do Bolsa Família dos atingidos por chuvas já foi liberado!

Na Casa Civil, Onyx foi responsável por organizar as estratégias entre os ministérios em parceria com o Congresso Nacional. Entretanto, a partir do segundo semestre de 2019 enfrentou embates políticos com o ministro Luiz Eduardo Ramos, chefe da Secretaria de Governo, que assumiu o cargo.

Seu nome chegou a ser cotado ainda para a gestão do Programa de Parceria de Investimentos (PPI), responsável pelas privatizações do governo federal, mas acabou sendo assumido por Paulo Guedes, atual Ministro da Economia.

A frente do Ministério da Cidadania, o parlamentar afirmou desejar dar andamento ao projeto de reformulação do Bolsa Família. Garantiu que irá continuar com as ações de fiscalização e desligamento dos brasileiros que estão recebendo os auxílios de forma inadequada e reforçou seu comprometimento para com as agendas sociais do governo.

Leia também: N26 vai permanecer no Brasil com data definida para ser lançado

Além dos ministros citados,  Bolsonaro veio reformulando as seguintes cadeiras do Palácio:

  • Casa Civil: Walter Braga Netto, general do Exército
  • Secretaria de Governo: Luiz Eduardo Ramos, general do Exército
  • GSI: Augusto Heleno, general do Exército
  • Secretaria-Geral: Jorge Oliveira, major da Polícia Militar do Distrito Federal

Sobre os boatos da saída de Paulo Guedes, o presidente afirmou que não está em seus planos e que sente-se seguro com a nomeação do ministro. Juntos, eles devem atuar na reforma administrativa ao longo dos próximos meses.

Maria Eduarda Andrade, mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguagens. No mercado de trabalho, já passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de ter assessorado marcas nacionais como a Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.