Concursos públicos no país são ameaçados por posicionamento de Bolsonaro

Brasileiros podem ficar sem concursos públicos por tempo indeterminado. Nessa segunda-feira (17), em entrevista na saída do Palácio da Alvorada, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que irá suspender a realização dos editais para novos servidores. Segundo ele, trata-se de uma medida de contenção de gastos que tem como objetivo beneficiar os cofres públicos.

Concursos públicos no país são ameaçados por posicionamento do presidente (Imagem: Reprodução - Google)
Concursos públicos no país são ameaçados por posicionamento do presidente (Imagem: Reprodução – Google)

Para defender seu argumento, Bolsonaro alegou que poderá fazer novos chamamentos, especificamente para a polícia federal e rodoviária federal, mas só se houver necessidade.

— Tem concursos que foram feitos no passado que nós demos prosseguimento agora, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal. Se tiver necessidade, a gente vai abrir concurso. Mas não podemos ser irresponsáveis, abrir concursos que poderão ser desnecessários, poderão. Essa que é a ideia.

Leia também: Reforma administrativa deve ser encaminhada ao Congresso; saiba o que muda

O presidenciável alega que a realização de concursos anuais podem inflacionar o número de servidores públicos, consequentemente aumentando o número de salários e despesas para o governo. E por isso, sua equipe passará a analisar, antes da publicação de qualquer edital, se é realmente preciso estruturar novas equipes.

A criação de novos concursos públicos é uma pauta diretamente relacionada a reforma administrativa, que segue em construção no Planalto.

Sobre ela, o presidente reforçou seu desejo de finaliza-la o mais rápido possível, afirmando que está em debate com Paulo Guedes (ministro da economia) e sua equipe, responsáveis pelo entrave de seu texto.

Questionado por um jornalista sobre quando a sociedade civil teria acesso as medida da reforma, ele afirmou que a liberação será feita de forma imediata, assim que as propostas forem finalizadas.

— Espero que o mais rápido possível eu encaminhe. Hoje vou conversar com Paulo Guedes, está previsto, se não me engano, (uma reunião) às 14h com ele. Outros assuntos serão tratados. Mas a reforma administrativa, eu acho que ela está madura para ser apresentada — disse, acrescentando depois que, “ainda faltam algumas alterações”.

Leia também: Banco Inter sobe resultados e investidores podem comemorar

Apesar de ainda não ter sido divulgado, o projeto impactará diretamente os servidores públicos e poderá reduzir consideravelmente o número de funcionários nos órgãos e instituições nacionais.

Além disso, deverá modificar as faixas salariais, tempo de trabalho, regras trabalhistas e mais. Seu texto vem sendo estruturado desde o ano passado e deverá ser a segunda grande mudança do governo Bolsonaro, após a validação da reforma da previdência.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA