Bolsa Família congela 25 mil inscrições na baixada santista

O orçamento do programa Bolsa Família está congelado desde o mês de setembro do ano passado, e as famílias que pediram a inclusão de novos benefícios mas não foram aceitas chega a 1 milhão em todo o país. Na Baixada Santista, o número já superou a marca de 25 mil núcleos familiares aguardando os repasses.

Bolsa Família congela 25 mil inscrições na baixada santista
Bolsa Família congela 25 mil inscrições na baixada santista (Imagem:Montagem/FDR)

A extrema pobreza e a elevada taxa de desemprego, na qual uma a cada três famílias da região pertencem, se enquadram nas regras para participar do Bolsa Família e aguardam adesão ao programa.

Leia Também: Ministério do Bolsa Família, CadÚnico e programas sociais ganha novo administrador

De acordo com o Ministério das Cidades, no país são mais de meio milhão de pessoas nessa situação. .  

Neste ano, a verba destinada para o Bolsa Família é de R$29,5 bilhões, ante R$32,5 bilhões em 2019. 

Com menos recursos, o governo passou a limitar a entrada de beneficiários, fazendo com que se formem filas que já haviam sido extintas no mês de julho de 2017.

Não há previsão de retomada no cronograma de novas adesões, o congelamento do programa atinge, ao menos, seis de nove cidades da região da baixada.

Atualmente são 58.947 famílias que recebem o benefício. Mas, a quantidade poderia superar a 85 mil, caso tivessem sido adotados os critérios de renda.

Os municípios de Mongaguá, Praia Grande e Peruíbe informaram que não há filas e também não se sabe precisamente a quantidade exata de famílias que aguardam o acesso ao benefício. Em outros municípios, houve uma diminuição na abertura do programa.

O problema afeta os moradores mais carentes da Baixada, como é o caso de São Vicente, que possui mais da metade da fila regional. 

De acordo com dados referentes a dezembro do ano passado, são cerca de 13.933 famílias sem receber o benefício. Deste total, 10.049 famílias se encontram em situação de extrema pobreza e o restante está na condição de pobreza. 

O município de Bertioga aparece logo após com 5.160 pessoas aguardando a inclusão no sistema de transferência de renda.

A cidade que está com a maior proporção de beneficiários é Itanhaém, em que há 3.202 famílias aguardando adesão ao benefício. 

Leia Também: Banco Inter sobe resultados e investidores podem comemorar

Em Santos, estima-se que 1,5 mil famílias aguardam a entrada no Bolsa Família, algumas estão na fila desde janeiro do ano passado. Cubatão são cerca de 730 famílias e Guarujá 770 famílias esperando por resposta.

O governo federal afirmou que não pode aceitar novos inscritos até que finalize a operação pente fino, sistema que filtra os cadastros a fim de banir quem recebe o pagamento irregularmente.

Depois que normalizar o sistema, poderá abrir as portas novamente. No entanto, não há previsão de quando isto vai acontecer.

Jheniffer FreitasJheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.