IRPF 2020: ganho com criptomoeda deve ser incluso na declaração

O período para entregar a declaração de Imposto de Renda está chegando e alguns contribuintes que fazem investimentos podem ter dúvidas. Inclusive, se os seus ganhos com criptomoeda deve estar entre os rendimentos informados no IRPF 2020. A resposta é sim, a informação precisa ser esclarecida para a Receita Federal. 

IRPF 2020: ganho com criptomoeda deve ser incluso na declaração
IRPF 2020: ganho com criptomoeda deve ser incluso na declaração (Imagem:Montagem/FDR)

Aqueles que realizam transações no mercado virtual das criptomoedas não escapam do Leão e devem fazer a declaração, porém é necessário ter um lucro maior que R$ 35 mil ao ano.

Leia Também: Imposto de Renda 2020 deposita mais um lote da restituição na próxima semana

Desde 2017, quando ocorreu o boom das bitcoins, que se tornaram uma das principais moedas virtuais, a Receita Federal passou a exigir que ela fosse declarada no imposto.

Mesmo não existindo uma regulação específica do mercado das criptomoedas, a declaração do IRPF 2020 ajuda a combater crimes como sonegação e lavagem de dinheiro. 

Isso ocorre pois rastrear essas moedas não é fácil, já que há um anonimatos dos usuários e a descentralização das transações. Os rendimentos neste setor devem ser declaradas na ficha de bens e direitos como os demais. 

No campo de discriminação é necessário que o contribuinte detalhe o máximo possível do tipo da criptomoeda, valor da compra, venda e a quantidade que foi adquirida. 

O contribuinte deve guardar os documento que comprove a autenticidade dos valores declarados.

O recolhimento do Imposto de Renda sobre o ganho de capital deve ser realizado pelo pagamento do Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf) emitido pelo Programa de Apuração dos Ganhos de Capital (GCAP) até o último dia útil do mês seguinte ao do dia da transação de venda.

As moedas devem ser declaradas pelo valor de aquisição, de acordo com a informação concedida pela Receita Federal.

A incidência da tributação, isto é, o quanto será cobrado por meio do IRPF 2020, é progressiva. Assim, a alíquota cresce na medida da renda da contribuinte conforme a tabela abaixo.

Leia Também: Nubank é vítima de mais um golpe que pode roubar a sua senha

  • 15% sobre parcela do ganho que não ultrapasse R$ 5 milhões;
  • 17,5% sobre parcela do ganho acima de R$ 5 milhões e abaixo de R$ 10 milhões;
  • 20% sobre parcela do ganho acima de R$ 10 milhões e abaixo de R$ 30 milhões;
  • 22,5% sobre parcela do ganho acima de R$ 30 milhões.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA