Novas regras do INSS vão mexer no bolso dos segurados

A partir do próximo mês os brasileiros deverão ficar atentos as modificações em suas contribuições no INSS. A medidas propostas na reforma da previdência passarão a entregar em vigor, alterando o valor das taxas estipuladas pelo instituto. As novas regras do INSS trazem um peso diferente para as alíquotas que funcionarão de forma progressiva e pesarão mais no bolso de quem tem salários mais elevados.

Novas regras do INSS vão mexer no bolso dos segurados
Novas regras do INSS vão mexer no bolso dos segurados (Imagem: Montagem / FDR)

A alteração determina que os trabalhadores com uma renda mensal mais baixa, terão que pagar menos à previdência. Já aqueles que recebem acima de R$ 4.700 precisarão lidar com descontos maiores.

Confira um exemplo: uma trabalhadora com salário de R$ 1.045, atual salário mínimo, deverá contribuir com 8% desse valor o equivalente a R$ 83,60.

Leia também: Contribuição do INSS no seguro desemprego vai ser opcional; vale a pena escolher?

As novas alíquotas vão passar a variar entre 7,5% a 14% do rendimento, sendo aplicadas sobre o percentual salarial de cada beneficiário. Os descontos deverão seguir uma tabela de taxação formulada pelo instituto.

Esse ano, o teto do INSS está em 6.101,06. Para a categoria, a contribuição mensal deverá ser de R$ 713,10, segundo o IBDP. Anteriormente, o pagamento era de R$ 671,12, o que representa um aumento de 6,2%.

Novas regras do INSS para os servidores federais

No caso dos servidores federais, as alíquotas ficarão acima do teto e poderão chegar a 22% para aqueles com uma renda acima de R$ 40.747,20. Os descontos também serão aplicados de forma progressiva.

Leia também: IPTU 2020: cálculo, forma de pagamento e prazos 

Visão dos especialistas.

Tesoureiro do IBDP, Emerson Costa Lemes afirma que as modificações aquecerão o mercado, uma vez em que os brasileiros com maior poder aquisitivo é que sentirão um impacto mais profundo.

“A ideia é essa: quem recebe um salário mínimo vai contribuir menos, e R$ 5 fazem diferença para esses trabalhadores. Penso que a estratégia é reduzir a arrecadação, mas tentar aquecer o mercado de trabalho para mais pessoas contribuírem. Vamos ver agora se vai dar certo”, explicou.

Confira a tabela que passará a incidir a partir de março deste ano, conforme as novas regras do INSS.

  • 7,5% até um salário mínimo (R$ R$ 1.045);
  • 9% para quem ganha entre R$ 1.045,01 R$ e 2.089,60.
  • 12% para quem ganha entre R$ 2.089,61 e R$ 3.134,40.
  • 14% para quem ganha entre R$ 3.134,41 e R$ 6.101,06.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA