Minha Casa ganha novo administrador para a faixa 1

Prefeituras perderão o poder do Minha Casa Minha Vida. Nessa semana, o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canudo, informou que o presidente Jair Bolsonaro, desejar mudar o processo de seleção dos candidatos ao programa habitacional. A ideia é tirar do governo municipal a decisão de escolher e aprovar os beneficiários.

Minha Casa ganha novo administrador para a faixa 1 (Imagem: Reprodução - Google)
Minha Casa ganha novo administrador para a faixa 1 (Imagem: Reprodução – Google)

Segundo o secretário, trata-se de uma decisão difícil politicamente falando, principalmente por estamos em ano eleitoral.

Saiba também: Adeus ao Minha Casa Minha Vida: governo prepara um novo programa habitacional 

Entretanto, ele reforça que a ação evitará a fraude e compra de votos com possíveis promessas de aceitação no programa. Reforçando o compromisso do governo federal com a democracia.

É uma fonte grande de fraude no mercado. O presidente Jair Bolsonaro veio para acabar com isso”, disse o ministro ao Valor Econômico.

Como funcionarão os cadastros na faixa 1

Para as famílias de faixa 1 (com renda mensal de até R$ 1,8 mil), a ideia é que o processo seja realizado por meio do cadastro único. E passe a ser de responsabilidade do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS).

A equipe administradora do MCMV irá unir os indicadores de pobreza e precariedade da moradia atual à plataforma social, podendo identificar a necessidade da liberação do benefício para quem solicita-lo.

Canudo reforçou que independentemente das mudanças que houverem, como a aprovação ou não dos vouchers, o procedimento para novas contratações não será modificado, pois a ideia citada já foi aprovada pelos gestores.

Até hoje, quem se enquadra na faixa 1 poderia comparecer até a prefeitura municipal e fazer o seu cadastro para concorrer a uma vaga no programa. Os demais, procuram uma agência da Caixa Econômica Federal para contratar o financiamento.

Reformulação do Minha Casa Minha Vida

Desde o final de 2019 o governo federal vem anunciando mudanças no MCMV. Uma das propostas sugeridas é a liberação de vouchers permitindo que os beneficiário fiquem responsáveis pela escolha de seus terrenos, engenheiros ou até mesmo comprem um imóvel pronto.

O projeto vem sendo debatido, pois ainda há pontos com margem para dúvidas, principalmente no que diz respeito a participação das instituições financeiras que irão financiar esse valor.

Um dos questionamentos do Banco do Brasil, foi sobre a possibilidade de fraudes caso os beneficiários utilizem a quantia para outros fins.

Quanto a isso, o governo informou que o pagamento deverá ocorrer em duas parcelas e não será feito diretamente na conta dos cadastrados.

Estes precisarão escolher um engenheiro qualificado que deverá submeter o projeto da construção para a aprovação do governo. Se a proposta for validada, o valor será depositado na conta do profissional, metade no início da construção e o restante no fim. Vale lembrar que o voucher é de R$ 60 mil.

Você gostou deste conteúdo? AVALIE:

Avaliação média: 0
Total de Votos: 0

Minha Casa ganha novo administrador para a faixa 1

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA