Nova tarifa do cheque especial: fuja da cobrança em 3 passos importantes 

Neste ano, os correntistas que possuem mais de R$500 reais no limite do especial precisarão contar com a nova tarifa do cheque especial. Saiba como fugir desta cobrança em três passos. 

Nova tarifa do cheque especial: fuja da cobrança em 3 passos importantes 
Nova tarifa do cheque especial: fuja da cobrança em 3 passos importantes

A mudança faz parte de um conjunto de propostas do governo. Na nova resolução, que entrou em vigor desde o dia 6 de janeiro para novos correntistas, todos aqueles que possuem limite no especial maior que R$500 serão taxados em 0,25% sobre o valor. 

Leia também: Itaú faz comunicado animador aos usuários do cheque especial

A polêmica é que a cobrança virá, mesmo que o correntista não utilize esse crédito. Apenas por possuir o valor mais alto, o cliente já terá que pagar.

Esta proposta veio como uma forma de igualar outra medida, em que os juros da modalidade não podem ultrapassar os 8% ao mês, ou seja, o equivalente a 150% ao ano.  Em 2019, os juros eram de 12,5% ao mês, o que ao ano ficava em 300%. 

Para os clientes que já estão vinculados ao banco, a nova tarifa do cheque especial só será aplicada a partir do dia 1 de junho de 2020.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
OPORTUNIDADE
Novo Cartão de crédito queridinho do Brasil, sem anuidade e que você pode solicitar agora 34.787 pessoas já solicitaram

Como impedir a nova tarifa do cheque especial

Os clientes que não usam o limite ou usam pouco o serviço, e não querem arcar com uma cobrança à mais, podem pedir para o banco reduzir o especial disponível, limitando aos R$500 isentos. A instituição é obrigada a realizar as mudanças.

Outra solução, nesse caso mais drástica, é cancelar qualquer indício do cheque especial em sua conta. Mantendo-se totalmente isento de cobranças.

Os clientes devem ficar atentos pois os bancos não podem mais aumentar o limite do cliente sem avisá-lo e sem a sua autorização expressa. 

Em e-mail enviado para o jornal Exame, o Banco Central comentou sobre as novas regras. 

“A norma proíbe que o banco imponha limite superior a 500 reais caso o cliente queira limite mais baixo.Assim, o banco é obrigado a reduzir o limite do cheque especial caso seja solicitado pelo cliente”, informou o banco.

A oportunidade é para que os correntistas revejam a sua relação com a linha de crédito que possui um dos juros mais altos do mercado.

Antes, o cheque estava atrelado à conta-corrente e era gratuito, por conta disso havia pouca regulamentação, como limitação do banco para ampliar o limite e os clientes não se preocupavam muito em acompanhá-lo.

Em algumas instituições o cheque especial era oferecido automaticamente ao abrir a conta, e muitas pessoas possuíam o serviço sem nem saber. 

3 dicas para não passar pela cobrança

Em suma, quem não quiser pagar pelo sistema tem algumas opções:

  • Passar sua conta para bancos que não farão a cobrança, exemplo: Itaú, Nubank, Caixa Econômica e C6 Bank;
  • Limitar o especial em R$500;
  • Cancelar o crédito e não contar mais com o dinheiro.

Conversar com o gerente da conta é o mais indicado antes de tomar qualquer decisão. Lembrando que o banco sempre deve acatar as preferência do cliente.

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.