Vouchers para educação são a nova proposta “ousada” do governo 

Nesta terça-feira (21), o ministro da Economia, Paulo Guedes confirmou que uma das novas propostas “ousadas” do governo é o uso de vouchers para a educação. Assim, as famílias irão receber o dinheiro para decidir entre as opções do setor privado, onde irão matricular seus filhos.

Vouchers para educação é a nova proposta "ousada" do governo 
Vouchers para educação é a nova proposta “ousada” do governo

O sistema acontece, por exemplo, no Distrito Federal. O chamado vale creche seleciona famílias carentes e as beneficia com bolsas de estudos integrais em instituições de ensino privadas.

Apesar disso, a experiência internacional mostra resultados controversos sobre a iniciativa do ministro para reduzir a desigualdade de oportunidades na primeira infância. 

Saiba também: Bolsa Família suspenso? Aprenda a reverter situação

Em entrevista reportada pelo jornal O Valor, Guedes falou que é necessário investir mais cedo na educação. 

“Precisamos investir na educação e, quanto mais cedo, melhor”, disse o ministroo, em Davos, após citar Japão e Coreia do Sul como exemplos de países que prosperaram a partir de grandes investimentos em educação e tecnologia.

“Então, vamos apoiar um gigantesco [programa de] ‘vouchers’ para educação nos primeiros estágios”, afirmou.

Mesmo não tendo falado sobre “creche”, o ministro confirmou que está em andamento uma ideia que já vem sendo estudada desde a campanha presidencial. 

O programa têm sido muito conversado entre Economia e a Casa Civil, o que aponta que o Ministério da Educação (MEC) está com baixo protagonismo sobre as políticas educacionais. 

A proposta de trazer vouchers para educação foi apresentada por um estudo de Paulo Uebel, que hoje é secretário de Desburocratização. 

Ao ser questionado sobre como esse método funcionaria na cidade de São Paulo, Uebel trabalhou no governo e projetou os “vouchers” para as creches, que cortariam à metade os custos do município.

No segundo semestre do ano passado as ideais foram para a mesa, após decisão que os R$1,6 bilhão que foi recuperado na Operação Lava-Jato seria destinado para a educação.

Segundo uma fonte, o uso desse recurso para a educação infantil perdeu apelo e outras opções estão sendo estudadas pelo governo.

Isso pois, o Ministério da Economia não concorda com o uso de um dinheiro finito para gastos recorrentes. Além disso, há alguns entraves burocráticos, que acabam dificultando o uso da verba.

Recentemente, esse foi o tema de uma reunião entre a Casa Civil e os técnicos do MEC. Após essa reunião Weintraub publicou em sua conta no Twitter, que o governo iria anunciar novidades de investimento para creche.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.