Bolsa Família suspenso? Aprenda a reverter situação

Criado com o objetivo de ajudar brasileiros em situação de pobreza ou extrema pobreza, o Bolsa Família vem passando por um período de fiscalização, suspendendo o auxílio de milhares de cadastrados. Entre os principais motivos, estão os erros das documentação e não cumprimento das medidas obrigatórias. Ao ter o benefício cancelado, o segurado ainda possui uma chance de reverter a situação.

Bolsa Família suspenso? Aprenda a reverter situação
Bolsa Família suspenso? Aprenda a reverter situação

Para isso, antes de mais nada ele precisa saber o motivo pelo qual seu auxílio foi travado. Seja por erros no cadastro, falta das crianças na escola, ausência das documentações médicas ou incompatibilidade de renda. É preciso estar dentro das exigências do projeto para poder voltar a receber.

Leia também: Pagamento do Bolsa Família começou; veja como receber

Abaixo, listamos os principais motivos para o entrave:

  • Dados fornecidos de forma incorreta;
  • Renda superior ao limite estabelecido;
  • Criança participante do grupo familiar sem frequência escolar;
  • Gestantes e crianças não estar em dia com os exames ou sendo acompanhada por médicos;
  • Não comparecer ao posto de atendimento do Bolsa Família para o recadastramento obrigatório;
  • A mudança de endereço sem informar ao cadastro do programa na sua cidade;
  • Acumulo da bolsa por até três meses.

O que fazer se tiver o Bolsa Família cancelado

Inicialmente o programa notifica os cadastrados em quaisquer dessas situações para que estes revejam suas situações. Entretanto, caso o titular representante não modifique os dados, mesmo após a notificação, a bolsa será suspensa.

Se isso acontecer desse modo será preciso dar um tempo de espera entre três e seis meses para tentar se cadastrar no programa novamente, passando por todas as etapas de registro e aprovação já vivenciadas.

O ministério da cidadania reforça que pra evitar tal situação é importante que os cadastrados mantenham seus registros atualizados.

O indicado é que a cada um ou no máximo dois anos o familiar representante passe um pente fino nas informações concedidas ao governo.

Mudanças de endereço, aumento de renda, crescimento da família, entre outros dados, precisam estar devidamente atualizados de acordo com a realidade de cada cadastro.

É válido ressaltar que, para reforçar a fiscalização, o ministério está trabalhando para que as informações do Imposto de Renda dos segurados sejam repassadas, de modo que possa tornar a avaliação ainda mais rígida.

Você gostou deste conteúdo? AVALIE:

Avaliação média: 0
Total de Votos: 0

Bolsa Família suspenso? Aprenda a reverter situação

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA