Nova tabela do INSS é publicada e vai interferir no seu salário 

Foi publicada a nova tabela do INSS com reajuste dos benefícios pagos e isso irá interferir no salário recebido pelo segurado. Os reajustes serão de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que ficou em 4,48%.

Nova tabela do INSS é publicada e vai interferir no seu salário 
Nova tabela do INSS é publicada e vai interferir no seu salário
publicidade

Com a atualização, o teto dos benefícios, que é o valor máximo que pode ser recebido pelos segurados, passou de R$5.839,45 para R$6.101,06.

O valor já será pago na folha deste mês de janeiro, para os que recebem acima do piso os depósitos serão feitos entre 3 a 7 de fevereiro. O reajuste vai afetar cerca de 35 milhões de brasileiros.

Leia também: Informe de rendimento do INSS precisa ser emitido o quanto antes; saiba como fazer

Além disso, a nova tabela do INSS também conta com outras alíquotas de contribuição. Elas representam descontos no salário bruto do trabalhador, a quantia é depositada como contribuição à Previdência Social. 

A partir de março a tabela ainda receberá outras alterações, pois será ajustada com base na reforma da Previdência. Trazendo as seguintes cobranças:

  • 7,5% até um salário mínimo (R$ 1.039,00);
  • 9% para quem ganha entre R$ 1.039,01 R$ e 2.089,60.
  • 12% para quem ganha entre R$ 2.089,61 e R$ 3.134,40.
  • 14% para quem ganha entre R$ 3.134,41 e R$ 6.101,06.

Sendo assim, mesmo que o trabalhador receba um salário superior ao teto, a contribuição será calculada apenas sobre os R$6.101,06.

Por lei, o piso das aposentadorias é definido sempre pelo salário mínimo, que atualmente é de R$1.039. Mas que a partir de fevereiro passará a ser de R$1.045. Essa mudança também vai modificar a tabela, mas vale dizer que o teto permanece o mesmo. 

Os que recebem pensão especial devida às vítimas da síndrome da talidomida, o valor subiu para R$ 1.175,58, a partir de 1º de janeiro de 2020.

Já o auxílio-reclusão, que é pago a dependentes de segurados presos em regime fechado, o salário de contribuição terá como limite o valor de R$ 1.425,56.

A renda mensal vitalícia e as pensões especiais para dependentes das vítimas de hemodiálise da cidade de Caruaru (PE) também sobem para R$ 1.039,00. O benefício pago a seringueiros e a seus dependentes, com base na Lei nº 7.986/89, passa a valer R$ 2.078,00.

A cota do salário-família passa a ser de R$ 48,62, para o segurado com remuneração mensal não superior a R$ 1.425,56.

Os reajustes nos benefícios trazem o mudanças nas faixas de cálculo das contribuições mensais pagas pelos trabalhadores ao Instituto. Os salários de janeiro, na qual a contribuição será recolhida até o dia 29 de fevereiro. 

Apesar disso, é preciso lembrar que após a aprovação da reforma, as cobranças das taxas passarão a ser progressivas, ou seja, ela será cobrada apenas sobre a parcela do salário que se enquadrar em cada faixa. Com isso, o percentual pode ser diferente. 

Jheniffer FreitasJheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.