Valor adicional no Bolsa Família vai beneficiar parte dos usuários; entenda

Famílias que consigam comprovar bom desempenho escolar dos seus filhos terão acréscimo no benefício do Bolsa Família, de acordo com o ministro da Cidadania Osmar Terra. A informação foi passada em entrevista ao jornal “O Estado de S. Paulo” e ao Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado), onde o ministro também garantiu estender o alcance do programa social. 

Valor adicional no Bolsa Família vai beneficiar quais inscritos? Saiba aqui!
Valor adicional no Bolsa Família vai beneficiar quais inscritos? Saiba aqui!

Este acréscimo funcionará da seguinte forma: a família que comprovar que os seus filhos passaram de série com nota superior a sete, receberá uma bonificação no final do ano.

O prêmio também cobrirá jovens que estão matriculados e frequentando aulas em cursos profissionalizantes. Para que isto aconteça, Terra informou que o ministério está negociando com empresas, na esperança que consiga ofertar cursos gratuitos.

Leia também: Alterações no Bolsa Família devem ser anunciadas em breve; saiba o que muda

De acordo com o Ministério da Cidadania, o Brasil tem hoje 4,6 milhões de jovens entre 18 a 29 anos que são “nem-nem”, ou seja, nem trabalham e nem estudam. A ideia com estes novos projetos é diminuir o contingente. 

Família com filhos pequenos também deverão ser beneficiadas. O Bolsa Família já abraça mães e filhos recém-nascidos, que correspondem a faixa etária de zero até os seis meses, mas a intenção é expandir o benefício para crianças pouco maiores também. Ainda não há informações de quanto será o valor do bônus. 

O governo gasta em torno de R$ 4,5 bilhões com o Bolsa Família. Valor que deverá ser acrescido de outros R$ 2,5 bilhões para pagar o 13° salário do benefício em 2020, promessa de campanha do atual presidente Jair Bolsonaro.  

Quem recebe o Bolsa Família?

Com as mudanças que o governo quer fazer, o Bolsa Família deve atender pelo menos 10 milhões de beneficiários.

Hoje, o programa define quem receberá o pagamento a partir da situação financeira de cada família, que podem ser classificadas em extrema pobreza, aquelas que possuem rendimento de até R$ 89 per capita, e pobreza, até R$ 178 per capita.

Porém o ministro da Cidadania garantiu que essas faixas de enquadramento serão reajustadas para R$ 100 e R$ 200, respectivamente neste ano. 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Amanda Castro
Amanda Castro é graduada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) e graduanda de Administração pela Secretaria de Educação e Esportes de Pernambuco (SEE). É responsável pela área de negócios, tráfego e otimização SEO do portal FDR. Além disso, atua como redatora do portal FDR e demais portais de notícias desde 2017, produzindo conteúdo sobre economia, finanças pessoais e programas sociais.