Dívidas das famílias chegam a índice recorde mesmo com estímulos do governo

O número de famílias com dívidas no Brasil tem alçando níveis preocupantes. E mesmo com os estímulos do governo federal para aquecer a economia, o índice apresentado foi recorde em dezembro. Dados são de levantamento realizado pela Confederação Nacional do Comércio (CNC).

Dívidas das famílias chegam a índice recorde mesmo com estímulos do governo
Dívidas das famílias chegam a índice recorde mesmo com estímulos do governo

Dados apontam que 65,6% das famílias tinham tomado crédito no cartão, o procedimento foi realizado por meio de empréstimo pessoal ou financiamento.

Em comparação aos anos anteriores, no mesmo período, a parcela de famílias inadimplentes chegou a 24,5% em dezembro, contra 22,8% do mesmo período de 2018.

Leia também: Bancos digitais trarão novidades no pagamento de contas

O cenário é observado mesmo com os esforços do governo federal na criação de estratégias para acelerar a economia e diminuir as dívidas. Como os mutirões de renegociação, juros menores e liberação de recursos do FGTS.

Para entender a economia é preciso reconhecer que o consumo das famílias é o principal ponto deste meio e representa, também, dois terços do Produto Interno Bruto (PIB).

Especialistas defendem que para contornar os estraves observados pela inadimplência, é preciso dar continuidade nas agendas das reformas e atrair investidores para o país.

O chefe da Divisão Econômica da CNC, em entrevista ao Globo, detalha que a estratégia que deve ser tomada pelo Brasil é de continuar com a pauta de não gastar mais do que pode e realizar debates sobre reformas, a exemplo da tributária.

Desta maneira, segundo sua avaliação, será possível atrair olhares de investidores estrangeiros para o país e, como consequência, o aquecimento do mercado de trabalho com mais pessoas empregadas, trabalhando nestas novas operações no país, podem realizar a quitação de suas dívidas e aquecer a economia.

Especialistas ainda destacam que o aquecimento e os altos índices de famílias endividadas está relacionado à volta do consumo.

O economista da Vinland Capital, Victor Wong, destaca durante entrevista que este movimento é caracterizado pelos planos a longo prazo feitos pelos consumidores, sendo este um bom sinal para economia.

Outro ponto destacado para a melhora no cenário de inadimplência, é a redução de juros, com marca histórica de 4,5% ao ano. Ainda alinhado à disposição em compras.

Você gostou deste conteúdo? AVALIE:

Avaliação média: 0
Total de Votos: 0

Dívidas das famílias chegam a índice recorde mesmo com estímulos do governo

REDAÇÃO
Cobertura e repercussão de assuntos que impactam o bolso de todos os brasileiros. A redação do FDR.com.br traz diariamente assuntos relevantes de uma forma descomplicada e confiável.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA