IPTU 2020 São Paulo: calendário é divulgado

A prefeitura municipal da capital paulista, divulgou nesta semana o calendário de pagamento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU 2020 São Paulo). O cronograma funciona como um parâmetro para que os contribuintes saibam até quando precisam pagar o imposto em parcela única ou fracionado. 

publicidade
IPTU 2020 São Paulo: calendário é divulgado
IPTU 2020 São Paulo: calendário é divulgado
publicidade

Os boletos serão enviados pelos Correios e os contribuintes devem receber em casa entre os dias 23 de janeiro à 20 de fevereiro.

Serão enviado dois boletos, um para os que desejarem realizar o pagamento à vista e outro com o código de barra para pagar a primeira parcela.

Leia também: Calendário IPVA SP 2020 começa nesta quinta-feira

Os contribuintes que optarem por quitar o imposto em uma única parcela até o mês de fevereiro irão receber o desconto de 3%. Já os que desejarem parcelar, pode prorrogar o pagamento em dez vezes.

Aqueles contribuintes que precisarem da segunda via do boleto podem acessar o site da Secretaria Municipal da Fazenda a partir do dia 15 de fevereiro. 

Se o morador parcelou, os outros boletos do IPTU 2020 São Paulo serão enviados em uma guia, no qual irá conter os códigos de barras para os próximos pagamentos. 

Os paulistas podem escolher o dia de vencimento desses boletos em cada mês, para isso, é preciso que seja realizado uma atualização cadastral pelo site. Informando apenas o número de cadastro do IPTU. 

Caso não realize essa atualização, as datas de vencimento são nos dias 9 ou 14 de cada mês.

O IPTU 2020 São Paulo é uma tarifa cobrada pela prefeitura e deve ser paga para aqueles que possuem um imóvel em área urbana, seja ele uma casa, apartamento, sala comercial ou outros tipos de propriedade. 

O valor varia de acordo com o código tributário da cidade e o valor venal do imóvel, que é utilizado como base para esta definição. 

Os contribuintes precisam realizar o pagamento do IPTU 2020 São Paulo, pois se ficar em dívida terá o acréscimo de multa e de juros pelo período de inadimplência. 

Também não conseguirá realizar a negociação do imóvel ou colocá-lo à venda. Alguns imóveis chegam a ir a leilão para que a prefeitura receba esse dinheiro.

Jheniffer FreitasJheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.