Reajuste no teto da aposentadoria tem data para divulgação

Na próxima sexta-feira (10), será divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) o índice utilizado para calcular o reajuste do teto da aposentadoria e dos benefícios que estão acima do salário mínimo. 

Reajuste no teto da aposentadoria tem data para divulgação
Reajuste no teto da aposentadoria tem data para divulgação
publicidade

O índice utilizado pelo governo para aplicar o aumento nos benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), é a inflação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede o aumento do custo de vida das famílias que têm como renda até cinco salário mínimos. O valor  a ser aplicado é medido no ano anterior, ou seja, de 2019.

Leia também: Revisão do INSS conta com tecnologia para solicitação de pedido

Até o mês de novembro o INPC acumulado foi de 3,22%. Mas, a expectativa é que esse índice chegue a ficar em 4,1%, a mesma taxa que aumentou o salário mínimo do país.

A última estimativa que o governo enviou para o Congresso, apontava que o INPC iria encerrar o ano em torno de 3,3%. Esse valor foi enviado pelo Planalto para que pudesse ser realizado o aumento do piso na proposta orçamentária deste ano. 

Apesar disso, o ministro da economia, Paulo Guedes, já havia indicado que esse percentual poderia ser maior, afinal  alguns fatores contribuíram para isso como a inflação que sofreu uma aceleração nos últimos meses, o dólar também aumento e o preço da carne disparou. 

Se o INPC fechar o ano com a expectativa do governo, ele deve ficar próximo a inflação do país que é medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). 

Com o acréscimo aplicado o reajuste no teto da aposentadoria e dos benefícios pagos pelo INSS será vantajoso. Em 2019, o teto era de R$5.839,45, segundo as expectativas pode passar para R$6.079.

Tomando como base esse aumento, um beneficiário que ganha R$2.000 passará a receber R$2.082,20. 

Os medidores de inflação monitoram os preços de produtos e serviços do varejo, levando em consideração as famílias que recebem entre um e 40 salários mínimos no país.

 

Jheniffer FreitasJheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.