Imposto de Renda 2020 pode ter novas regras de isenção, segundo Bolsonaro

Brasileiros devem ficar atentos as contribuições do Imposto de Renda 2020. Nessa semana, em entrevista no Palácio da Alvorada, o presidente Jair Bolsonaro se pronunciou sobre o teto de cobrança do tributo. Segundo ele, a expectativa é que no próximo ano estejam isentos aqueles que recebam até R$ 3.000 mensais.

publicidade
Imposto de Renda 2020 pode ter novas regras de inseção, segundo Bolsonaro
Imposto de Renda 2020 pode ter novas regras de inseção, segundo Bolsonaro

Ao longo de sua fala, Bolsonaro explicou que a medida ainda está sendo analisada pela Receita Federal e deve ser decidida em breve. Ele explicou que o planejado é aplicar o reajuste a partir de janeiro, aliviando as despesas da RF na prestação de conta do imposto.

Leia também: Isenção do Imposto de Renda 2020: veja doentes beneficiados

publicidade

O valor atual da cobrança é de R$ 1.903,99, exigido para os contribuintes de 2019. Nesse caso, a quantia determina quem precisará fazer a declaração do IR ou não. Os brasileiros com renda máxima até o valor acima não precisam, já quem contar com salários maiores têm que obrigatoriamente declarar suas despesas. Se for aprovado de fato, o reajuste será de 57,6%.

“O Tostes [José Tostes, secretário Especial da Receita Federal], que faz as projeções. Quem paga Imposto de Renda nessa faixa, quando chegar em março e abril do ano que vem, ele tem nota fiscal, ele recupera tudo de volta. Se a gente pode evitar essa mão de obra enorme para a Receita (…) para fazer essa declaração do Imposto de Renda, passa o limite para R$ 3.000”, disse Bolsonaro.

No mesmo pronunciamento, o presidente disse acreditar que a faixa ideal para isenção seria sobre os salários de até R$5.000. Mas, tem ciência de que uma mudança mais drástica poderia ser prejudicial aos cofres.

Até então, o previsto era um acréscimo para R$ 2000, porém o presidente alega que o aumento de R$ 1 mil poderá desafogar os cofres públicos na hora de prestar conta das restituições. Segundo ele, o processo burocrático gera ainda mais despesas do que o valor cobrado aos contribuintes.

Durante o período eleitoral, Bolsonaro prometeu aos eleitores que aqueles com salários de R$ 4.000 não precisariam declarar o IR. Entretanto, a proposta não foi sustentada ao longo de seu governo, mas ele reforçou que se dependesse apenas de sua vontade a mudança seria para até R$ 5.000.

Questionado sobre o porquê de não elevar o piso a essa quantia, ele explicou que causaria um desfalque grande na Receita Federal e poderia prejudicar a economia nacional. Segundo ele, é preciso ir reajustando pouco a pouco, de modo que haja impactos gradativos no cenário econômico.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

publicidade

 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!