Governo prevê corte de gastos sociais, e incluí o Bolsa Família

Devido ao aumento de gastos com a reforma da previdência e do plano de cortes desenvolvido pelo ministro da economia, Paulo Guedes, o governo federal terá cortes orçamentários em diversas áreas ao longo de 2020. Entre os programas sociais mais afetados, estarão o Bolsa Família e o Minha Casa Minha Vida.

Governo prevê corte de gastos sociais, incluindo Bolsa Família
Governo prevê corte de gastos sociais, incluindo Bolsa Família

Para o próximo ano, o Bolsa Família terá uma redução de quase R$ 3 bilhões. O planejamento de R$ 32 bilhões de 2019 passará a ser de R$ 29,5.

Leia também: Atualização de cadastro do Bolsa Família na Bahia se aproxima do prazo final

Isso refletirá em uma maior dificuldade para que novos brasileiros sejam beneficiados e também põe em dúvida o pagamento da 13ª parcela, proposta pelo presidente Jair Bolsonaro este ano.

Mediante a quantia destinada, a expectativa é que cerca de 13,2 milhões de famílias sejam atendidas, mantendo os números estáticos em comparação a esse ano e impossibilitando a expansão do projeto.

Já no Minha Casa Minha Vida, o recurso foi reduzido pela metade e será de R$ 2,7 bilhões. Esse será o orçamento mais baixo da história do projeto que passará a contar com várias novas regras de funcionamento, como a liberação de voucher para financiamento, construção, compra de imóveis prontos e mais.

Outro programa também afetado foi o Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego), que basicamente irá desaparecer em 2020. Segundo a equipe de Paulo Guedes, os cursos ofertados não estão mais conectados com as atuais necessidades do mercado.

Na área da saúde, os cortes afetarão o programa de distribuição de remédios (Farmácia Popular) e também o Sistema Único de Saúde (SUS). Quanto as atividades na área de cultura, ouve uma queda de 77% nas despesas.

O orçamento determinado para 2020 está em R$ 33,1 milhões, enquanto esse ano era de R$ 150 milhões. Essa será a primeira vez que o valor ficará inferior a R$ 100 milhões.

Por fim, nas leis trabalhistas, os recursos direcionados para ações de fiscalizações também foram cortados e atingiram o menor patamar da história.

Dos R$ 1,4 trilhão de despesas previstas para 2020, foram reservados somente R$ 36 milhões para operações de inspeção de segurança e saúde no trabalho, combate ao trabalho escravo e verificações de obrigações trabalhistas.

Você gostou deste conteúdo? AVALIE:

Avaliação média: 0
Total de Votos: 0

Governo prevê corte de gastos sociais, e incluí o Bolsa Família

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA