IPTU Cuiabá 2019: prefeitura permite parcelamento do débito

Os moradores de Cuiabá com o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) 2019 atrasados devem ficar atentos. O governo municipal está dando uma nova oportunidade para que as dívidas sejam encerradas ainda esse ano. Segundo o Decreto de nº 7.702/2019, a população poderá reparcelar o valor total do IPTU Cuiabá 2019, desde que o primeiro boleto seja quitado até o dia 20 de dezembro.

IPTU Cuiabá 2019: prefeitura permite parcelamento do débito
IPTU Cuiabá 2019: prefeitura permite parcelamento do débito

A divisão incluirá a quantia total do IPTU mais as multas e juros de atraso. O parcelamento pode acontecer em até três vezes e deve ser pago respectivamente em 20 de janeiro e 20 de fevereiro. Quanto as multas e juros, essas serão acumuladas apenas até o mês de dezembro.

Leia também: Consulta ao IPTU 2020 pode adiantar planejamento financeiro

Emissão dos carnês IPTU Cuiabá 2019

Para poder emitir os boletos o contribuinte pode ir até um ponto de apoio da Receita ou então solicitar pelo site da prefeitura, através do cadastro eletrônico. Basta acessar o portal do IPTU e ir até a emissão de guias.

Nela é preciso inserir o número de inscrição municipal disponível no carnês do IPTU Cuiabá 2019. E automaticamente será gerada a guia referente ao mês de dezembro.

Os boletos de janeiro e fevereiro só poderão ser emitidos a partir do dia 2 de janeiro de 2020. O portal ainda permite que sejam consultados os valores dos juros, multas e demais situações e atrasos do tributo.

Cada parcela precisa ter um pagamento mínimo de R$ 53,74 e caso o pagamento ultrapasse a data estipulada o contribuinte perderá o direito da renegociação.

Sobre o IPTU

Para determinar o valor do IPTU, a prefeitura municipal leva em consideração o valor de venda do imóvel. Quanto maior o terreno e melhor estruturada a propriedade, mais caro será o tributo. Outro detalhe importante é que precisam prestar conta do imposto todos aqueles que possuem algum apartamento, casa ou espaço em seu nome.

Em caso de residências alugadas, por exemplo, a obrigação do pagamento do imposto é do proprietário. Entretanto, o mesmo pode negociar com o locatário, no momento de assinatura do contrato, o repasse dos boletos para que o mesmo assuma a despesa.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.