Novo Minha Casa Minha Vida vai deixar o beneficiado escolher como será sua casa

Novo Minha Casa Minha Vida. Governo vem estruturando projeto que permitirá que os beneficiários possam participar da construção dos imóveis. A reformulação do programa vai deixar que os moradores escolham o modelo das casas, arquitetos e engenheiro. O assunto foi discutido ontem (3), no programa Brasil em Pauta, da TV Brasil.

Novo Minha Casa Minha Vida vai deixar o beneficiado escolher como será sua casa
Novo Minha Casa Minha Vida vai deixar o beneficiado escolher como será sua casa

A partir de agora, o Minha Casa Minha Vida passará a ter como prioridade municípios que tenham até 50 mil habitantes. Segundo o governo, a decisão visa otimizar a construção dos imóveis e propor mais liberdade para os beneficiários que poderão opinar sobre suas moradias.

Atualmente, as casas seguem um único padrão, feito pela construtora que assinou a obra e entregues prontas. Com a reforma, será disponibilizado uma espécie de voucher (documento que comprova o pagamento ou dá direito a compra de um produto) onde o morador poderá utilizá-lo para escolher os profissionais de sua obra, modelo da casa, etc.

Leia também: Minha Casa Minha Vida deve receber verba para pagamento de dívidas

Ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, afirmou que a mudança será positiva tendo em vista que agora os beneficiários poderão construir lares de acordo com suas necessidades.

“Muitas vezes a família precisa ou quer uma casa mais simples e maior. Outra, com cômodos menores e mais qualidade de acabamento. A gente quer deixar isso a critério deles”, afirmou.

Valor liberado para o novo Minha Casa Minha Vida

Sobre o valor do voucher, Canudo informou que tudo vai depender dos preços no mercado imobiliário e também do local onde será construído o imóvel. Ele relembra que essa variação interfere diretamente nas despesas da obra e por isso não será estipulado um preço fixo para as construções.

Normalmente, o programa fornece R$ 60 mil para levantar uma casa. Para a liberação do atual voucher serão consideradas três situações: o de aquisição, para comprar o imóvel já pronto; o de construção, para começar a casa do zero; e o de reforma, para melhorar ou ampliar a casa já existente.

O ministro explicou ainda que o novo Minha Casa Minha Vida que dá direito ao voucher só será disponibilizado para quem recebe um salário médio de R$ 1.200. As famílias acima dessa quantia continuarão a entrar no programa por meio de financiamento. Quanto à cobrança de juros, disse que o projeto visa proporcionar taxas cada vez menores.

“Hoje a faixa é de 5% [ao ano]. A gente quer baixar isso para 4,5% ou 4% para ficar mais competitivo. Essa é a premissa base”, ressaltou.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.