Nesta segunda-feira (2), o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou mudanças nas taxas sobre importação de materiais para o Brasil. Com as mudanças, as tarifas sobre aço e o alumínio serão afetadas.

Donald Trump anuncia cobrança de tarifa sobre o Brasil: o que isso significa?
Donald Trump anuncia cobrança de tarifa sobre o Brasil: o que isso significa?

A decisão foi tomada frente à recente valorização do dólar em comparação com a moeda brasileira, o real. De acordo com o presidente, a nova medida teria “efeito imediato”. Em contra partida, Trump disse que vai taxar os produtos de aço e alumínio do Brasil e Argentina. Mas os detalhes ainda não foram anunciados.

Cabe decidir se irá manter a mesma anunciada no ano passado (25% sobre o aço e 10% sobre o alumínio) ou terá um novo valor.

O Brasil é o segundo maior fornecedor de aço dos Estados Unidos, representando cerca de 14% de todas as importações daquele país, de acordo com informações da agência France Presse.

Leia também: Alta do dólar torna real 4° moeda mais desvalorizada de novembro

A medida não só impacta o Brasil, mas também os exportadores da Argentina. Para os argentinos, o impacto poderá ser de grande escala, tendo em vista que a maior parte das exportações desses produtos vai para os Estados Unidos.

A decisão de Donald Trump sobre as novas taxas são uma resposta à desvalorização do dólar nos países, que caminham para fechar o ano em alta. No caso brasileiro, o avanço da moeda sobre o real acumulado até o final de novembro foi de mais de 9%. Já sobre o peso argentino o dólar tem alta acumulada perto de 60% no ano.

O governo brasileiro já respondeu sobre as possíveis mudanças. De acordo com o comunicado divulgado pelos ministérios das Relações Exteriores, Economia e Agricultura, o Brasil “já está em contato com Washington sobre o tema” e “se for o caso” o presidente Jair Bolsonaro conversa com Trump sobre os assuntos. Bolsonaro descarta que medida imposta seja uma “retaliação”.

Atualmente o valor cobrado de taxa é o equivalente ao já divulgado em 2018, quando o governo americano criou as novas tarifas e regras para importação desses materiais. Em base, é realizada uma cobrança de sobretaxa de 25% para o aço importado e de 10% para o alumínio.

Ainda há regras que detalham situações especiais, como as do caso de itens acabados ou semiacabados, nos quais obedecem regulamentação específica.

Juan Gouveia é graduando em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP). É redator do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças diariamente.