Alta do dólar torna real 4° moeda mais desvalorizada de novembro

Graças a alta do dólar nos últimos dias, o real vem se tornando a 4ª moeda mais desvalorizada do mundo. Os dados são baseados em um levantamento realizado pela Austing Rating. Segundo a pesquisa, até o início do mês, a moeda brasileira foi desvalorizada em 4,9%, perdendo apenas para a Venezuela em -25,2%, Zâmbia (-8,2%) e Chile (-6,8%).

Alta do dólar torna real 4° moeda mais desvalorizada de novembro
Alta do dólar torna real 4° moeda mais desvalorizada de novembro

O estudo analisou todas as 122 moedas do mundo a partir da cotação fornecida na base de dados do Banco Central. No que diz respeito a sua posição anual, o real vem ocupando o 15º lugar das moedas menos valorizadas, com uma perda de 7,9%.

Somente essa semana, após o posicionamento do ministro da Economia, Paulo Guedes, o mercado reagiu e o dólar foi até a R$$ 4,2771 atingindo um recorde mundial. Em sua fala, Guedes afirmou que o câmbio de equilíbrio “tende a ir para um lugar mais alto”.

Segundo os especialistas, seu pronunciamento deu a entender que o Brasil terá que lidar com os juros baixos e a moeda americana elevada por um bom tempo.

Notícia relacionada: Dólar chega a R$4,24, mas Guedes diz que não há com o que se preocupar

Além das afirmações de Paulo Guedes, o dólar vem sofrendo elevações em seu valor graças a uma preocupação internacional relacionada a desaceleração da economia mundial. A instabilidade entre a China e os Estados Unidos é um dos principais motivos pelos quais há uma guerra comercial desde 2018.

Somente no mês de outubro, a queda nas transações correntes chegou a US$ 7,9 bilhões, valor maior do que os 5,8 bilhões projetados pelo Banco Central (BC). Já agora em novembro, no último dia 5 a moeda americana estava sendo vendida a R$ 3,99 na venda. Desde então, em menos de 20 dias, a cotação disparou mais de 5%, atingindo preços absurdos.

Economista da Austin Rating, Alex Agostini pontua que a instabilidade do cenário político e econômico brasileiro também influencia diretamente na elevação do dólar. Segundo ele, os desdobramentos do governo até 2022 seguirão interferindo na moeda.

“Em tempo, o cenário político e judiciário muito atabalhoado no Brasil também tem sua participação nessa instabilidade da moeda, pois transfere ao investidor um ambiente hostil aos negócios, seja por insegurança jurídica ou por fragilidade política que limita as perspectivas de médio prazo. Ou seja, dúvidas sobre eleições 2022”, explicou.

Você gostou deste conteúdo? AVALIE:

Avaliação média: 0
Total de Votos: 0

Alta do dólar torna real 4° moeda mais desvalorizada de novembro

×
Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA