Na última quinta-feira (29), o Presidente da República Jair Bolsonaro realizou uma live e confirmou o pagamento do 13° salário do Bolsa Família. O anúncio foi realizado ao lado do presidente da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur), Gilson Machado Neto.

Presidente confirma pagamento do 13° salário do Bolsa Família 
Presidente confirma pagamento do 13° salário do Bolsa Família 

A decisão do pagamento do 13° vai beneficiar 13,5 milhões de famílias de baixa renda em diversas áreas do país, principalmente os moradores da região Nordeste do Brasil, onde há maior número de cadastros. 

O pagamento desse salário extra irá injetar cerca de R$210 milhões na economia do estado de Pernambuco, por exemplo.

Os dias para a realização do pagamento do 13° salário do Bolsa Família variam de acordo com o último digito do Número de Identificação Social (NIS), que também é chamado de PIS ou NIT.

Leia também: Cuidados com a saúde são requisitos para manter benefício do Bolsa Família

Para conferir basta olhar a numeração impressa no cartão de recebimento. O benefício será incluso na folha de pagamento do mês de dezembro.

 Pagamento 13° salário do Bolsa Família:

  • Final 1: 10/12 
  • Final 2: 11/12
  • Final 3: 12/12 
  • Final 4: 13/12 
  • Final 5: 16/12 
  • Final 6: 17/12 
  • Final 7: 18/12 
  • Final 8: 19/12 
  • Final 9: 20/12 
  • Final 0: 23/12

O valor recebido é o mesmo do benefício mensal que já é pago para a família, variando de acordo com o perfil de cada beneficiado.

A medida foi incluída como promessa na campanha para presidente de Jair Bolsonaro  (PSL) e colocada também nas metas de 100 dias de governo.

O programa do Bolsa Família atende pessoas que vivem em situação de extrema pobreza, com renda mensal de R$ 89,00 e famílias em situação de pobreza, com renda entre 89,01 reais e 178,00 reais mensais.

No mês de setembro, 13,5 milhões de famílias foram atendidas a um custo de R$ 2,5 bilhões. O benefício médio registrado pelo governo foi de R$ 189,21 reais.

De acordo com o Ministério da Cidadania, o pagamento do programa em 2019 vai totalizar R$2,5 bilhões aos cofres públicos.

A medida é provisória e garantida apenas para esse ano de 2019. Não há informações sobre a possibilidade do pagamento do benefício nos próximos anos.

Com o depósito desse salário extra os benefícios não sofreram reajuste, podendo voltar a ter o mesmo valor no próximo ano.

Os reajustes são dados por decreto presidencial, sem periodicidade definida e não seguem um índice de inflação específico. Em anos anteriores ao realizar reajustes o governo comparou-os com diferentes índices de inflação.

Os interessados em se cadastrar no programa Bolsa Família, devem se inscrever no Cadastro Único para Programa Sociais do Governo Federal, no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) ou na gestão municipal do bolsa família. 

Jheniffer Freitas é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). É redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças diariamente.