Senado vai votar reestruturação da carreira militar na terça-feira (3)

Mais um desdobramento do projeto de lei que visa reestruturar o plano de carreira dos militares brasileiro. Na próxima terça-feira (3), será realizada a votação do PL 1.645/2019. Trata-se da proposta desenvolvida pelo governo de Jair Bolsonaro para reconfigurar o plano de carreira dos oficiais. A medida visa também enquadrar policiais e bombeiros no mesmo patamar dos servidores das Forças Armadas no que diz respeito aos sistemas de seguridade social.

Senado vai votar reestruturação da carreira militar na terça-feira (3)
Senado vai votar reestruturação da carreira militar na terça-feira (3)

A reunião foi marcada nessa quarta-feira (27) e contou com diversas opiniões contrárias ao projeto. Relator do PL, Arolde de Oliveira (PSD-RJ), informou que há inúmeros oficiais, especialmente de patentes mais baixas, insatisfeitos com as propostas sugeridas.

“Com relação a pontos expostos que prejudicam alguns quadros de militares das Forças, senadores da CRE já negociam com o governo federal para que sejam corrigidos em outra proposta” declarou.

Leia também: Por aprovação do CCJ reforma da Previdência dos militares segue para o Senado

Em sua fala, ainda ressaltou a importância da definição da medida, levando em consideração os prazos impostos para que a mesma comece a entrar em vigor.

“Esta reestruturação determina reajustes em soldos e adicionais já a partir de 1º de janeiro de 2020, então precisa ser aprovada ainda este ano. Qualquer mudança fará com que a proposta retorne à Câmara dos Deputados. Por enquanto, a melhor solução para mudanças será a encontrada em diálogo com o governo federal”, explicou o deputado.

O senador, Izalci Lucas (PSDB-DF) é um dos responsáveis pelo reajuste do projeto. Ao longo dos próximos dias, estará ao lado de Bolsonaro para que ele possa receber demais parlamentares e militares.

O objetivo das reuniões é encontrar uma solução que agrade a maioria dos grupos. Em sua fala, Izalci relembrou a trajetória do presidente enquanto oficial e ressaltou a importância de manter um bom relacionamento com o grupo.

“O governo precisa assumir o compromisso de contornar as crassas distorções deste texto. Bolsonaro é militar, trabalhei junto com ele por dois mandatos na Comissão de Defesa da Câmara e ele sempre defendeu estes segmentos. Ele precisa se dar conta inteiramente do que se passa, e com urgência”, disse.

Impacto da reestruturação da carreira militar

A conversa contou ainda com a apresentação de um estudo realizado pelos Ministérios da Defesa e da Economia, destacando que, caso seja aprovada, a MP terá um impacto de R$2,29 bilhões nos cofres públicos até 2022. Segundo os ministérios, o superávit, se somado com o corte das despesas fiscais anualmente, poderá passar de 10 bilhões em 2023.

 

Você gostou deste conteúdo? AVALIE:

Avaliação média: 0
Total de Votos: 0

Senado vai votar reestruturação da carreira militar na terça-feira (3)

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA