Últimos dias para quitar o IPVA; saiba as consequências da dívida ativa

Nos últimos anos, houve uma grande parcela da população endividada com o Imposto sobre Propriedade de Veículo Automotor (IPVA), que é cobrado pelos estados. Os recursos arrecadados com o IPVA são divididos entre estados e municípios, e o dinheiro deve ser usado para gastos públicos em saúde, segurança, educação e transporte público.

Últimos dias para quitar dívida com IPVA; saiba as consequências
Últimos dias para quitar dívida com IPVA; saiba as consequências
publicidade

 

Os motoristas que devem esse imposto entre os anos de 2015 e 2018 são notificados pelo governo estadual para regularizar seu veículo.

Leia também: IPVA 2020: entenda qual valor do imposto no seu estado

Cada estado determina o valor que será cobrado no IPVA de forma independente e as mudanças são realizadas de acordo com a necessidade de cada um deles.

Caso o condutor não pague o imposto, a sua dívida do IPVA ficará ativa. Com isso, o atraso irá acarretar no acréscimo de multas e juros ao valor original do imposto.

Sem o IPVA pago, não é possível realizar o licenciamento do veículo. Além disso, dirigir inadimplente com os débitos do automovél é considerada infração gravíssima e além de uma multa o veículo pode ser apreendido.

O atraso também resulta em nome sujo, ou seja, será mais difícil para que a pessoa consiga empréstimos.

Para quitar sua dívida com o Estado é necessário acessar o site do Detran do seu estado, lá serão fornecidas informações sobre qualquer tipo de pendência está relacionada ao veículo em questão.

Depois, basta colocar a placa e o Registro Nacional de Veículo (Renavam), que o sistema exibe na tela o histórico do automóvel.

Para efetuar o pagamento é preciso que a Guia para Regularização de Débitos (GRD), seja emitida, nessa guia o valor exibido será atualizado.

O pagamento pode ser feito de duas formas: à vista ou parcelado. Caso opte por quitar à vista, é só fazer o pagamento integral à sua escolha, pela internet ou lotérica, por exemplo.

Já se optar pelo parcelamento, é preciso ir até a Secretaria da Fazenda do estado em que seu veículo está registrado e negociar a dívida para o parcelamento.

Depois, durante o período de duração, será necessário pagar a guia todos os meses até que os débitos sejam quitados, com o intuito de evitar uma nova dívida ativa de IPVA.

Jheniffer FreitasJheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.