Considerado um dos principais programas sociais do Governo Federal, o Bolsa Família vem atendendo mais de 13,5 milhões de brasileiros, somente durante o mês de setembro. Agora, além de contar com o saque mensal, graças à medida aprovada pelo presidente Jair Bolsonaro, os cidadãos receberam o 13º salário durante o mês de dezembro, dobrando a quantidade de investimentos realizados para este grupo.

Irregularidades no cadastro Bolsa Família podem cancelar benefício
Irregularidades no cadastro Bolsa Família podem cancelar benefício

Entretanto, é preciso estar atento as irregularidades de seu cadastro. Apesar de estar desenvolvendo medidas que visem ajudar os beneficiários, o governo também segue com uma operação pente-fino.

Saiba também: Calendário Bolsa Família faz pagamentos na próxima semana; consulte as datas

O objetivo é cortar o auxílio daqueles que apresentam informações desatualizadas ou incorretas, de modo que possa desafogar a folha de pagamento do Ministério da Cidadania.

Por meio de um cruzamento entre os diferentes bancos de dados (CadÚnico, INSS, Rais, Caged e CNPJ), onde estão registradas as informações dos assegurados, é possível descobrir quais famílias estão recebendo acima da renda declarada.

Crianças que não estão comparecendo a escola ou sem acompanhamento de saúde, conforme exige o programa, também são motivos para a desclassificação.

Ao todo, já foram encontrados mais de 1,136 milhão de titulares em situação irregular, sendo 469 mil foram cancelados e outros 667 mil bloqueados.

Entenda os principais motivos para o cancelamento do Bolsa Família:

RENDA ACIMA DA DECLARADA:

É preciso estar dentro do valor estipulado pelo governo. Quem tem uma renda maior que R$ 178,00 por pessoa, não pode ser cadastrados, pois esse é o teto do programa. Os locais onde houve um maior cancelamento por esse motivo foi no Sul e Sudeste.

AUSÊNCIA DE SAQUE:

Em caso de acumulo do saque o valor será retido. O prazo total para retirar a quantia é de até 90 dias. Se o titular não realizar nenhuma movimentação por mais de seis meses entende-se que seus familiares não precisam mais do benefício que será automaticamente cortado.

CADASTRO DESATUALIZADO:

A cada dois anos o programa realiza uma espécie de atualização cadastral. O beneficiário precisar estar atento para que não se esqueça de fornecer os dados solicitados. O aviso referente ao período para realizar o procedimento é comunicado pelo extrato do Bolsa Família e demais portais oficiais do programa. Caso perca o prazo, terá o valor retido sem autorização para saque.

INFORMAÇÕES INCORRETAS:

Muitos são desligados por incompatibilidade em seus dados. Ao fornecer os registros pessoais ao CadÚnico é preciso estar atento se as informações correspondem de fato com sua realidade. Em caso de mudança, seja de endereço, dependentes ou alteração de escola, por exemplo, é preciso notificar o programa.

Caso seu auxílio tenha sido cortado por este motivo, é necessário procurar o CRAS mais próximo e comprovar a atualização dos dados para poder voltar a receber a bolsa.

 

 

Eduarda Andrade é graduanda em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP). Além de redatora do FDR, atua como estagiária da Agência de Desenvolvimento Econômico do Estado-PE e pesquisadora UNICAP/CNPq com projetos na área de Economia Criativa, Políticas Públicas e Tecnologia da Informação e da Comunicação.