Irregularidades no cadastro Bolsa Família podem cancelar benefício

Considerado um dos principais programas sociais do Governo Federal, o Bolsa Família vem atendendo mais de 13,5 milhões de brasileiros, somente durante o mês de setembro. Agora, além de contar com o saque mensal, graças à medida aprovada pelo presidente Jair Bolsonaro, os cidadãos receberam o 13º salário durante o mês de dezembro, dobrando a quantidade de investimentos realizados para este grupo.

Irregularidades no cadastro Bolsa Família podem cancelar benefício
Irregularidades no cadastro Bolsa Família podem cancelar benefício

Entretanto, é preciso estar atento as irregularidades de seu cadastro. Apesar de estar desenvolvendo medidas que visem ajudar os beneficiários, o governo também segue com uma operação pente-fino.

Saiba também: Calendário Bolsa Família faz pagamentos na próxima semana; consulte as datas

O objetivo é cortar o auxílio daqueles que apresentam informações desatualizadas ou incorretas, de modo que possa desafogar a folha de pagamento do Ministério da Cidadania.

Por meio de um cruzamento entre os diferentes bancos de dados (CadÚnico, INSS, Rais, Caged e CNPJ), onde estão registradas as informações dos assegurados, é possível descobrir quais famílias estão recebendo acima da renda declarada.

Crianças que não estão comparecendo a escola ou sem acompanhamento de saúde, conforme exige o programa, também são motivos para a desclassificação.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
OPORTUNIDADE
Novo Cartão de crédito queridinho do Brasil, sem anuidade e que você pode solicitar agora 34.787 pessoas já solicitaram

Ao todo, já foram encontrados mais de 1,136 milhão de titulares em situação irregular, sendo 469 mil foram cancelados e outros 667 mil bloqueados.

Entenda os principais motivos para o cancelamento do Bolsa Família:

RENDA ACIMA DA DECLARADA:

É preciso estar dentro do valor estipulado pelo governo. Quem tem uma renda maior que R$ 178,00 por pessoa, não pode ser cadastrados, pois esse é o teto do programa. Os locais onde houve um maior cancelamento por esse motivo foi no Sul e Sudeste.

AUSÊNCIA DE SAQUE:

Em caso de acumulo do saque o valor será retido. O prazo total para retirar a quantia é de até 90 dias. Se o titular não realizar nenhuma movimentação por mais de seis meses entende-se que seus familiares não precisam mais do benefício que será automaticamente cortado.

CADASTRO DESATUALIZADO:

A cada dois anos o programa realiza uma espécie de atualização cadastral. O beneficiário precisar estar atento para que não se esqueça de fornecer os dados solicitados. O aviso referente ao período para realizar o procedimento é comunicado pelo extrato do Bolsa Família e demais portais oficiais do programa. Caso perca o prazo, terá o valor retido sem autorização para saque.

INFORMAÇÕES INCORRETAS:

Muitos são desligados por incompatibilidade em seus dados. Ao fornecer os registros pessoais ao CadÚnico é preciso estar atento se as informações correspondem de fato com sua realidade. Em caso de mudança, seja de endereço, dependentes ou alteração de escola, por exemplo, é preciso notificar o programa.

Caso seu auxílio tenha sido cortado por este motivo, é necessário procurar o CRAS mais próximo e comprovar a atualização dos dados para poder voltar a receber a bolsa.

 

 

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.