Aposentadorias e benefícios podem estar perto do fim após anúncio alarmante do governo

O governo federal está preocupado com as projeções para os próximos anos para o INSS. É possível que alguns fatores anulem a Reforma da Previdência afetando aposentadorias e benefícios. Medidas poderão ser tomadas já nos próximos meses; entenda melhor os desdobramentos.

Aposentadorias e benefícios podem perto do fim após anúncio alarmante do governo (Foto: Jeane de Oliveira/ FDR)

A Reforma da Previdência entrou em vigor em novembro de 2019 com a finalidade de tornar o sistema previdenciário sustentável. No entanto, algumas projeções recentes apontam para pontos que podem até mesmo anular as mudanças. Com isso as aposentadorias e benefícios ficam na corda bamba.

Aposentadorias e benefícios em risco

  • Para entender melhor a situação é importante saber que a Previdência Social adota o salário mínimo como piso. o teto é definido a partir do INPC, que mede a inflação acumulada.
  • A evolução das despesas da Previdência é feita de diversas formas, várias métricas são usadas. Em uma delas o resultado não é tão animador.
  • Isso porque a previsão é de que os gastos da Previdência estejam acima da inflação e do crescimento previsto no arcabouço fiscal.
  • A previsão é de um crescimento 2,5% acima da inflação.
  • Com isso, a previsão é de que em 2027 os gastos tornem impossível o cumprimento do arcabouço fiscal.
  • Para se ter notão do impacto, para 2025 o próprio governo federal estima que para cada R$ 1 de reajuste do salário mínimo, a Previdência Social tenha um gasto de R$ 359 milhões.

O que fazer?

  • Em sua conta oficial o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, recomendou a leitura de um artigo de Bráulio Borges, pesquisador da Fundação Getulio Vargas 
  • No texto o pesquisador, de certa forma, vai em um caminho contrário ao citado acima, ou seja, não tem uma visão tão pessimista.
  • Borges sugere o corte de gastos, faz críticas ao novo arcabouço fiscal e lista as propostas que são polêmicas.
  • Uma das sugestões do pesquisador para resolver o problema é desvincular o piso do INSS do salário mínimo, ou seja, adotar outro mecanismo para o reajuste das aposentadorias e benefícios previdenciários.
  • Para ler o artigo de Bráulio Borges, clique aqui.

Segundo a especialista do FDR, Laura Alvarenga, a previsão do governo federal para o reajuste do salário mínimo pode ser alterada, entenda melhor.

 

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Jamille NovaesJamille Novaes
Baiana, formada em Letras Vernáculas pela UESB, pós-graduada em Gestão da Educação pela Uninassau. Apaixonada por produção textual, já trabalhou como corretora de redação, professora de língua portuguesa e literatura. Atualmente se dedica ao FDR e a sua segunda graduação.