Idosos do INSS poderão receber novo auxílio de R$ 2,2 mil

O auxílio de R$ 2,2 mil é um importante benefício pago pelo Instituto Nacional do Seguro Social aos trabalhadores afastados por doença. Nos primeiros 15 dias de afastamento, o empregador arca com o salário do funcionário. Após esse período, a responsabilidade passa para o INSS.

Idosos do INSS poderão receber novo auxílio de R$ 2,2 mil. Imagem: Jeane de Oliveira/FDR

Não há um limite de tempo estabelecido para receber o auxílio de R$ 2,2 mil. Enquanto a necessidade de afastamento for comprovada por perícia médica, o trabalhador pode permanecer em licença e receber o benefício.

O pagamento do auxílio de R$ 2,2 mil é determinado pelo salário de contribuição do segurado. Corresponde a 91% da média dos últimos 12 salários de contribuição. O Governo Federal agora aceita perícia médica pelo Atestmed para pedidos de auxílio-doença

O benefício é concedido com base na avaliação do atestado médico, sem necessidade de deslocamento para exame em uma unidade do INSS. Continue acompanhando para saber como solicitar o auxílio de R$ 2,2 mil. Enquanto isso, clicando neste link, você confere a lista completa que eu selecionei para você, com todos os recursos pagos pela Previdência Social. Confira!

Como solicitar o auxílio de R$ 2,2 mil?

  1. Entre no Meu INSS e faça login pelo Gov.br;

  2. Clique em “Novo requerimento”;

  3. Digite “Benefício por Incapacidade Temporária”;

  4. Preencha os campos necessários;

  5. Siga as orientações do próprio sistema;

  6. Em “Dados Adicionais”, informe os dados do documento médico: data de emissão e se possui o início do repouso;

  7. Junte os documentos necessários: documento de identidade e documento médico. A especialista Lila Cunha reuniu os documentos necessários;

  8. Escolha uma agência mais próxima para recebimento;

  9. Conclua o pedido.

Regras do auxílio de R$ 2,2 mil

Os atestados devem ser emitidos por médicos com inscrição no Conselho Regional de Medicina (CRM) e não podem ter nenhuma rasura. Eles também precisam:

  • Especificar o tempo de afastamento necessário para a recuperação do paciente;

  • Estabelecer o diagnóstico quando expressamente autorizado pelo paciente;

  • Registrar os dados de maneira legível;

  • Identificar o emissor mediante assinatura e carimbo ou número de registro no CRM;

  • Trazer o número da Classificação Internacional de Doenças (CID) correspondente, no caso do Atestmed.

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.