Troque seu RG antigo pelo novo: saiba quem deve fazer a atualização

O novo RG traz uma era de avanços tecnológicos na identificação dos brasileiros, promovendo maior segurança e reduzindo fraudes. Uma das principais inovações é a unificação do número de identificação, agora vinculado ao CPF, simplificando e fortalecendo o processo de identificação.

Troque seu RG antigo pelo novo: saiba quem deve fazer a atualização. Jeane de Oliveira/FDR

O novo RG, além de adotar tecnologias de ponta, prioriza a autenticidade e segurança do documento. Dentre as inovações, destaca-se o QR Code, facilitando a verificação dos dados do titular de forma rápida e precisa. A tecnologia blockchain, por sua vez, garante a segurança dos registros, fortalecendo a confiabilidade do documento.

A troca da carteira de identidade deve ser feita até 2032, com novas regras de validade. A primeira via será gratuita, pois o documento terá prazo de validade: até cinco anos para crianças até 12 anos, 10 anos dos 12 aos 60 anos e indeterminada para maiores de 60 anos.

O RG digital está disponível para todos os brasileiros, acessível pelo site do Gov.br. No entanto, a emissão do novo RG não pode ser feita online; é necessário comparecer ao órgão emissor de documentos do estado.

A transição para o novo modelo de RG ocorrerá gradualmente ao longo dos próximos anos. Confira abaixo como emitir a versão atual e, neste link, eu te explico tudo sobre outro documento que também passou por mudanças. 

Impactos do novo RG para os brasileiros

O novo RG utiliza o número do Cadastro de Pessoa Física (CPF) como registro geral, simplificando o processo de emissão em todo o país. Para obter o documento, o cidadão deve localizar o portal responsável em seu estado, reunir a documentação necessária e enviar a solicitação online, podendo agendar a retirada ou entrega a domicílio.

O novo RG conta com duas versões, uma digital e uma física. O antigo modelo da carteira de identidade se manterá válido até o dia 28 de fevereiro de 2032. Logo, a troca entre os documentos não é obrigatória de imediato. Vale ressaltar que, tanto a primeira via quanto a renovação do documento são gratuitas. 

No entanto, quem perder a carteira de identidade atual e precisar tirar a segunda via, por exemplo, precisará arcar com uma taxa simbólica de emissão a ser definida por cada unidade federativa. Vale lembrar que o antigo modelo continha um número próprio e podia ser emitido por cada estado ou pelo Distrito Federal. 

Assim, uma mesma pessoa poderia ter 27 versões diferentes do documento, cada uma com um número diferente. Na atual versão da CIN, não há um número próprio. O documento utiliza o número do CPF para identificar o cidadão. Existe somente um campo para nome, sem distinção entre registro civil e nome social, além de não especificar o sexo da pessoa. 

A nova identidade também conta com um QR Code que permite a verificação da autenticidade do documento, no intuito de identificar se ele foi furtado ou extraviado. O novo RG também conta com um código de padrão internacional chamado MRZ, normalmente utilizado em passaportes, tornando-o um documento de viagem. 

Qual é o prazo de validade do novo RG?

  • Entre 0 e 12 anos: validade de 5 anos;

  • Entre 12 e 60 anos: validade de 10 anos;

  • A partir de 60 anos: validade indeterminada.

Quais informações compõem o novo RG?

  • Nome da pessoa e nome social (quando houver);

  • CPF;

  • Sexo;

  • Data de nascimento;

  • Nacionalidade ou naturalidade;

  • Assinatura do titular (opcional em casos de analfabetismo, deficiência ou perda de função momentânea);

  • Nomes da mãe e do pai (quando houver);

  • Órgão expedidor, local e emissão;

  • QR Code para validação eletrônica;

  • Informações sobre tipo sanguíneo;

  • Informações sobre doação de órgãos.

Quais estados já emitem o novo RG?

  • Acre;

  • Alagoas;

  • Goiás;

  • Mato Grosso;

  • Minas Gerais;

  • Pernambuco;

  • Piauí;

  • Paraná;

  • Rio de Janeiro;

  • Rio Grande do Sul;

  • Santa Catarina.

Como atualizar novo o RG?

Para solicitar o novo RG, basta ir ao órgão emissor da sua cidade e apresentar a certidão de nascimento ou casamento. As secretarias de Segurança Pública do Distrito Federal e de cada estado serão as responsáveis por disponibilizar o documento.

Não é possível tirar o novo RG pelo celular. Porém, após a emissão presencial do documento, é disponibilizada uma versão digital. Ela pode ser acessada pelo aplicativo RG Digital do estado em que você emitiu o documento, a partir da leitura do QR Code no verso da versão física.

Para baixar o novo RG pelo celular, basta seguir este passo a passo: 

  1. Acesse a loja de aplicativos do seu celular;

  2. busque pelo app RG Digital do estado em que você emitiu o documento;

  3. com o app instalado, clique na opção “Adicionar RG”;

  4. escaneie o QR Code no verso de seu documento físico;

  5. faça o reconhecimento facial;

  6. crie uma senha de acesso para poder visualizar o documento;

  7. concluído, agora você tem acesso ao seu RG Digital diretamente de seu celular.

O novo RG só pode ser “baixado” de maneira digital após a emissão do novo documento físico com QR Code no verso. Com o documento físico já emitido, você deve solicitar a versão digital diretamente no app do Gov.br.

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.