Bolsa Família vai incluir sistema tecnológico revolucionando pagamentos; veja o que muda

Na última terça-feira (19), o ministro do Desenvolvimento e Assistência Social (MDS), afirmou que vai introduzir o uso de Inteligência Artificial (IA) no pagamento do Bolsa Família. A ideia é não só modernizar a forma como o auxílio financeiro chega até os mais pobres, mas sim tornar o processo de seleção dos aprovados mais coerente. 

bolsa família
Bolsa Família vai incluir sistema tecnológico revolucionando pagamentos; veja o que muda (Foto: Jeane de Oliveira / FDR)

A notícia sobre o uso de IA no Bolsa Família foi dada pelo ministro Wellington Dias, do Desenvovlimento Social, durante o lançamento do plano anual da rede federal de fiscalização do Bolsa Família e Cadúnico. Na ocasião, o ministro explicou que hoje pelo menos 2% dos inscritos recebem o benefício de forma fraudulenta, e que a ideia é conseguir exclui-los do programa. 

Como vai funcionar o uso de inteligência artificial no Bolsa Família?

A ideia, até então apresentada, é que a iteligência artificial melhore a forma como o Bolsa Família chega até os mais pobres. Quer dizer, consiga otimizar o público alvo, avaliando se aquele grupo realmente tem direito de receber o auxílio de no mínimo R$ 600. 

“(…) nós vamos ter mais de 1,3 pentabytes de informações em sistema de cruzamento e esse cruzamento com inteligência que permite alcançar ali informações precisas sobre quem é de alguma forma não está cumprindo a regra e está recebendo”, informou Wellington Dias.

Para entender melhor sobre a rede de fiscalização do Cadastro Único, leia esta matéria escrita por mim. 

O que vai mudar no pagamento do Bolsa Família?

No pagamento em si, nada muda. Mas para o programa Bolsa Família, o uso da inteligência artificial será importante porque vai otimizar pontos como:

  • Entrada no programa será mais rigorosa, passando por um processo fiscalização dos dados;
  • A permanência no programa também será mais criteriosa, já que a inteligência artificial vai procurar em outras bases de dados se há divergência de informação. 

Lila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: [email protected]