Fies Social oferta para estudantes até 100% de financiamento; saiba como e se você tem direito

O Ministério da Educação vai abrir as inscrições para o Fies Social nesta semana com mais de 112 mil vagas. Programa agora vai possibilitar 100% de financiamento de cursos superiores em todo o país. Além disso, 50% das vagas serão reservadas para um grupo.

Fies Social oferta para estudantes até 100% de financiamento; saiba como e se você tem direito (Imagem: FDR)

 

A reformulação do Fundo de Financiamento Estudantil finalmente terminou. Agora, o MEC vai abrir as inscrições do Fies Social, programa que vai financiar totalmente os cursos de graduação. Nessa primeira edição serão oferecidas 112.168 vagas.

Segundo o Ministério da Educação, a mudança no programa foi feita para que ele retomasse o seu papel social, que foi perdido há algum tempo.

Fies Social

  1. Pelo menos 50% das vagas serão destinadas aos estudantes com renda familiar per capita (por pessoa) de até salário mínimo inscritos no Cadastro Único (CadÚnico).
  2. Nossa especialista Laura Alvarenga te apresenta quais os documentos necessários para o Cadastro Único, veja.
  3. A grande novidade é o financiamento total da mensalidade, ou seja, o estudante não precisará pagar enquanto usa o programa.
  4. Esse financiamento integral deve ser oferecido para os estudantes que cumprirem com os requisitos citados acima.
  5. Para os demais será possível concorrer às vagas, mas, o financiamento pode não ser total.
  6. As inscrições são gratuitas e voltadas a quem fez o Exame Nacional do Ensino Médio a partir de 2010.
  7. Além disso, é necessário ter obtido média aritmética das notas nas 5 provas igual ou superior a 450 pontos e nota na prova de redação superior a 0.
  8. E não ter feito o Enem como “treineiro”;
  9. Os candidatos podem se inscrever apenas pelo site Acesso Único ao Ensino Superior.

Cronograma do Fies Social

 

Jamille NovaesJamille Novaes
Baiana, formada em Letras Vernáculas pela UESB, pós-graduada em Gestão da Educação pela Uninassau. Apaixonada por produção textual, já trabalhou como corretora de redação, professora de língua portuguesa e literatura. Atualmente se dedica ao FDR e a sua segunda graduação.
Sair da versão mobile