E-Consignado: entenda novo sistema de empréstimo lançado pela Caixa

Novo sistema da Caixa vai oferecer mais liberdade de escolha para os clientes de diversos bancos.  O E-Consignado vai ser voltado aos trabalhadores com carteira assinada. Entenda melhor.

E-Consignado: entenda novo sistema de empréstimo lançado pela Caixa (Imagem: FDR)

 

A Caixa Econômica Federal acaba de anunciar uma novidade que vai facilitar o acesso a empréstimos bancários. O E-Consignado, como foi chamado pelo presidente do banco, Carlos Vieira, está sendo elaborado pelo banco em parceria com os ministérios do Trabalho e da Fazenda.

O empréstimo consignado é aquele em que as parcelas mensais são descontadas direto da folha de pagamento da empresa. Assim o trabalhador não precisa se preocupar em fazer os pagamentos mensais.

No modelo atual, um cidadão só pode pegar empréstimo consignado no banco em que a empresa possui convênio. É exatamente esse ponto que está prestes a mudar.

O consignado acabou se popularizando por causa do baixo risco para os bancos, justamente porque os descontos são feitos em folha.

E-Consignado da Caixa

A ideia é oferecer um sistema que reúna as propostas do empréstimo consignado de vários bancos. A partir disso é o próprio cliente quem escolhe em qual deles deseja pegar o valor emprestado.

Para isso ele poderá analisar os prazos, juros e taxas cobrados por cada banco. Ou seja, a obrigatoriedade de pegar o dinheiro emprestado apenas no banco em que possui conta cairia.

Nesse sentido, a Caixa Econômica seria apenas o intermediador entre os trabalhadores e os bancos. Segundo o presidente do banco, essa ação vai baratear os custos para o consumidor.

A plataforma já está em elaboração e vai receber apenas trabalhadores com carteira assinada. Em um futuro esse sistema poderá ser aberto para os funcionários públicos também.

A plataforma deve causar um aumento na concessão dessa modalidade de empréstimo para profissionais CLT.

Segundo o Banco Central a concessão de consignado para esses trabalhadores tem apresentado expressiva queda. Passando de R$ 27,7 bilhões em 2022 para R$ 18,2 bilhões em 2023.

Vale lembrar que em outubro de 2022 houve um pico de consignados concedidos aos beneficiários do Bolsa Família, que representaram R$ 9,4 bilhões do volume total. No entanto, o empréstimo consignado do Bolsa Família foi suspenso e não há previsão de ser retomado.

E-Consignado: entenda novo sistema de empréstimo lançado pela Caixa (Imagem: FDR)

 

FGTS Digital

A plataforma deve ser no modelo do FGTS Digital, que entrou em funcionamento no dia 1º de março. A ideia é disponibilizar um link com o e-Social, administrado pela Caixa.

A partir dele os trabalhadores CLT, inclusive os domésticos, poderão fazer a contratação do empréstimo facilmente. A expectativa é de que o sistema beneficie principalmente os trabalhadores de médias e pequenas empresas.

O que deve ser benéfico para os funcionários de Microempreendedores Individuais. Afinal, geralmente os ME ou MEIs têm mais dificuldades em fazer parcerias com instituições bancárias.

Inclusive, o próprio Ministério do Trabalho apontou que mais da metade dos trabalhadores brasileiros são contratados de empresas com até 99 funcionários.

Outro ponto importante é que esse sistema deve beneficiar principalmente os trabalhadores de baixa renda. Atualmente o país tem 37 milhões de pessoas com salários até R$ 2.720.

Outro ponto relacionado ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço seria a possibilidade de uso dos recursos para o pagamento do empréstimo como garantia, caso o trabalhador seja demitido sem justa causa.

Portabilidade de dívidas

Há alguns meses o governo vem falando sobre a possibilidade de permitir portabilidade do vale-refeição e de dívidas. Em um segundo momento a ideia é justamente possibilitar essa portabilidade.

Com isso o consumidor poderá escolher qual a melhor taxa para a sua realidade financeira.

Inclusive, os representantes do setor financeiro já aprovaram a ideia, mas, ela ainda precisa ser bem estruturada para funcionar bem.

Margem do consignado

Com a criação de uma nova plataforma o governo estuda também ampliar a margem de consignação de 30 para 35%. Esse percentual representa o quanto pode ser descontado do salário do cidadão.

Caso o aumento seja aprovado, o consignado entraria no mesmo padrão ofertado aos beneficiários do INSS.

Jamille NovaesJamille Novaes
Baiana, formada em Letras Vernáculas pela UESB, pós-graduada em Gestão da Educação pela Uninassau. Apaixonada por produção textual, já trabalhou como corretora de redação, professora de língua portuguesa e literatura. Atualmente se dedica ao FDR e a sua segunda graduação.
Sair da versão mobile