INSS muda Prova de Vida e beneficiários precisam atualizar seus dados com urgência

O INSS está mudando a prova de vida dos seus beneficiários. O objetivo é simplificar o procedimento e torná-lo menos burocrático ainda em 2024. Alessandro Stefanutto, presidente da instituição. destaca o compromisso da autarquia em simplificar o processo de comprovação de vida, poupando o tempo dos beneficiários.

INSS muda Prova de Vida e beneficiários precisam atualizar seus dados com urgência

As mudanças podem ser inicialmente implantadas no Distrito Federal, com a proposta de integrar dados biométricos nas catracas de ônibus do transporte público ao banco de dados do INSS. Isso sugere a possibilidade de tornar a prova de vida um procedimento automático, eliminando a necessidade de comparecimento presencial por parte dos beneficiários.

A prova de vida é um processo obrigatório para aposentados, pensionistas e outros beneficiários do INSS. Essa verificação é fundamental para prevenir irregularidades nos benefícios concedidos, garantindo a correta distribuição dos recursos previdenciários.

Embora a prova de vida seja atualmente realizada presencialmente nas unidades do INSS e instituições bancárias, além da opção virtual via conta gov.br, a intenção é abolir essa obrigatoriedade, favorecendo a automatização do processo.

O que vai mudar na Prova de Vida em 2024?

De acordo com a Previdência Social, a nova versão da prova de vida será executada por meio do cruzamento de dados armazenados em bancos oficiais do Governo Federal. Dentre as fontes de dados consideradas estão:

  • Acesso ao aplicativo Meu INSS com o selo ouro ou outros aplicativos e sistemas dos órgãos e entidades públicas que possuam certificação e controle de acesso, no Brasil ou no exterior;
  • Realização de empréstimo consignado, efetuado por reconhecimento biométrico;
  • Atendimento presencial nas agências do INSS, ou por reconhecimento biométrico nas entidades ou instituições parceiras;
  • Perícia médica por telemedicina ou presencial e no sistema público de saúde ou rede conveniada;
  • Vacinação;
  • Cadastro ou recadastramento nos órgãos de trânsito ou segurança pública;
  • Atualizações no Cadastro Único, somente quando for efetuada pelo responsável pelo grupo;
  • Votação nas eleições;
  • Emissão/renovação de documentos como passaporte, carteira de identidade, carteira de motorista, carteira de trabalho, alistamento militar ou outros documentos oficiais que necessitem da presença física do usuário ou reconhecimento biométrico;
  • Recebimento do pagamento de benefício com reconhecimento biométrico;
  • Declaração de Imposto de Renda como titular ou dependente.

Apesar das transformações propostas, os segurados ainda terão a opção de realizar a prova de vida tradicional, seja presencialmente nos bancos ou agências previdenciárias, ou de forma digital via biometria facial ou no canal Meu INSS, acessível a qualquer momento pelo aplicativo.

Ariel França
Jornalista especializado em Direito Administrativo, Gestão Pública e Administração Geral. Possui mais de uma década de experiência em produção de conteúdo para a internet.