IDOSOS EM ALERTA! Confira os principais riscos em se tornar MEI nesta fase da vida

Regularizar a atividade como MEI traz diversos benefícios para os microempreendedores que tomam essa decisão. No entanto, no caso dos idosos, é preciso tomar cuidado ao abrir o cadastro como MEI já que a medida pode inclusive levar ao corte de alguns benefícios.

IDOSOS EM ALERTA! Confira os principais riscos em se tornar MEI nesta fase da vida
IDOSOS EM ALERTA! Confira os principais riscos em se tornar MEI nesta fase da vida. (Imagem: FDR)

A atenção especial deve ser tomada por aqueles que recebem algum tipo de benefício do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). No caso de alguns pagamentos, a limitação de renda é um critério importante para exclusão.

Dessa forma, ao se formalizar como microempreendedor individual o idoso estará comunicando a possibilidade de entrada de uma renda extra, o que poderá levar ao corte de alguns benefícios.

Confira os cuidados necessários para o idoso ao se tornar MEI:

  • Ao regularizar sua atividade, o idoso deverá ter em mente o valor médio do seu faturamento;
  • Esse montante deverá ser incluído no cálculo da renda mensal;
  • No caso de alguns benefícios do INSS, a ultrapassagem desse limite pode levar ao corte do pagamento;
  • É o caso do Benefício de Prestação Continuada (BPC), por exemplo;
  • Atualmente, ele é liberado apenas para famílias com idosos com mais de 65 anos e que tenham a renda média mensal de no máximo R$ 218;
  • Além disso, a família precisa estar inserida no CadÚnico;
  • Caso ultrapasse o limite da renda, o idoso terá o benefício cortado;
  • No entanto, vale lembrar que a mesma regra não é aplicada para quem recebe aposentadorias ou pensões;
  • Nesse caso, a regularização como MEI traz benefícios;
  • Isso porque, caso cumpra com suas obrigações, o idoso seguirá contribuindo com o INSS;
  • Dessa forma, ele poderá inclusive pedir uma revisão e aumento do benefício no futuro.

Confira mais informações sobre as vantagens de se tornar um microempreendedor individual neste link.

Danielle Santana
Jornalista formada pela Universidade Católica de Pernambuco, já atuou como repórter no Jornal do Commercio, Diario de Pernambuco e Folha de Pernambuco. Nos locais, acumulou experiência nas editorias de economia, cotidiano e redes sociais. Possuí experiência ainda como assessora de imprensa.