Carteira do Idoso: isenção de pagamentos pode ser solicitada online

Pontos-chave
  • As vantagens da Carteira do Idoso incluem prioridade em estacionamentos;
  • O processo é intuitivo, facilitando para os idosos aproveitarem os benefícios garantidos por esse documento essencial;
  • Caso não tenha o CadÚnico, aproveite o momento para realizar o cadastro e já emitir sua carteirinha de pessoa idosa.

Cidadãos brasileiros com mais de 60 anos podem solicitar a Carteira do Idoso, um documento emitido pela Secretaria de Direitos Humanos (SDH) que desbloqueia diversos benefícios para melhorar a qualidade de vida e a acessibilidade dessa população.

Carteira do Idoso: isenção de pagamentos pode ser solicitada online
Carteira do Idoso: isenção de pagamentos pode ser solicitada online. (Imagem: FDR)

As vantagens da Carteira do Idoso incluem prioridade em estacionamentos, possibilidade de adquirir ingressos com meia-entrada em eventos culturais e, especialmente, o direito a passagens gratuitas em ônibus interestaduais. 

Esses benefícios são cruciais para proporcionar maior mobilidade e acesso a atividades de lazer e cultura. Ao apresentar a Carteira do Idoso, o beneficiário pode usufruir dessas vantagens em diversas situações, como na compra de ingressos, no uso de estacionamentos preferenciais e ao obter passagens gratuitas em ônibus interestaduais. 

O processo é intuitivo, facilitando para os idosos aproveitarem os benefícios garantidos por esse documento essencial. Confira abaixo, todos os detalhes que você precisa saber sobre a Carteira do Idoso, inclusive, os processos de emissão do documento. 

Quem pode solicitar a Carteira do Idoso?

Todas aquelas pessoas com mais de 60 anos que não tem comprovação de renda e que recebam até dois salários mínimos, podem solicitar a carteira do idoso. Para solicitar é preciso ser cadastrado no CadÚnico (Cadastro Único) do Governo Federal.

Caso não tenha o cadastro, é preciso entrar em contato com o CRAS mais próximo de sua casa para realizar o cadastro. Ressaltando que, somente através da inscrição no CadÚnico que o cidadão terá acesso ao NIS (Número de Identificação Social).

Etapas de solicitação da Carteira do Idoso

Solicitação online

  1. Na plataforma, o cidadão deve clicar na opção “iniciar”;
  2. Em seguida, selecionar a opção “emitir carteira”;
  3. Após preencher os dados solicitados e informar os documentos (RG, CNH ou passaporte, comprovante de residência e certidão de nascimento ou casamento), a carteira estará disponível para impressão.

Essa ferramenta fortalece a autonomia dos idosos, garantindo acesso a benefícios sociais fundamentais. É mais um passo para uma sociedade justa, que preza pelo respeito e pela valorização dos idosos. 

Solicitação presencial

Caso você não queira pedir sozinho pela internet, também pode solicitá-lo junto ao CRAS. É preciso comparecer presencialmente ao local com as seguintes informações e documentos comprobatórios:

  1. Documento de identidade com foto;
  2. CPF;
  3. Número do NIS.

Caso não tenha o CadÚnico, aproveite o momento para realizar o cadastro e já emitir sua carteirinha de pessoa idosa. A carteira feita pelo CRAS pode demorar até 45 dias para ficar pronta. Caso necessite com urgência, o CRAS pode emitir uma declaração provisória para o beneficiário.

Qual é a validade da Carteira do Idoso?

A carteira do idoso tem a validade de dois anos. Na própria carteirinha tem o prazo de validade. Por isso, sempre que estiver próximo de vencer, solicite uma nova e não fique sem.

Quais informações constam na Carteira do Idoso?

  • Nome Completo: é obrigatório a presença do nome completo do idoso para que possa ser feita a sua identificação.
  • Data de Nascimento: para comprovação da idade da pessoa idosa, também é necessário a inclusão da data de nascimento na carteirinha.
  • Número do Documento de Identificação: assim como a carteirinha de estudante que possui número de documento de identificação, a carteira do idoso também deve ter o número da carteira de identidade.
  • Número do CPF: mesmo caso do RG, o CPF é um documento importante na vida de todo cidadão e deve estar presente na carteirinha do idoso.
  • NIS: o NIS, Número de Inscrição Social, cadastro oferecido pelo Governo Federal para identificar o cidadão que recebe ou não benefício social, também é obrigatório na carteira da pessoa idosa.
  • Data de expedição e validade: a carteirinha do idoso também apresenta a data de expedição e de validade.
  • QR Code com código alfanumérico: além dessas informações, estará presente na carteira de pessoa idosa, um QR Code com código alfanumérico.

Uso indevido da Carteira do Idoso

O uso indevido da Carteira do Idoso é um problema sério que precisa ser combatido. As estratégias para combater este problema podem incluir:

  • Implementação de sistemas mais eficazes de verificação e controle;
  • Educação do público sobre os direitos dos idosos;
  • Consequências do uso indevido da carteira;
  • Garantia de que os infratores sejam responsabilizados.

Para garantir que sua Carteira do Idoso seja usada corretamente, certifique-se de guardá-la em um local seguro, e nunca a empreste a outra pessoa. Além disso, se você perceber que sua carteira está sendo usada de maneira indevida ou se tornou vítima de fraude, denuncie imediatamente às autoridades.

A Carteira do Idoso é uma ferramenta valiosa para garantir muitos direitos e benefícios aos cidadãos brasileiros com 60 anos ou mais. O seu uso correto ajuda a manter o respeito e a dignidade que todos os idosos merecem.

Logo, é fundamental estar atento aos casos de uso indevido da Carteira do Idoso e tomar as medidas necessárias para combater este problema. Com consciência pública, responsabilidade pessoal e ação proativa, podemos garantir que este valioso recurso esteja disponível para aqueles que mais precisam.

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.