Indenização do Serasa revela quem receberá até R$ 30 mil; procure seu nome na lista

Consumidores que tiveram seus dados pessoais podem ter direito a indenização do Serasa. O Ministério Público Federal (MPF) pede na justiça que a empresa pague o valor de R$ 30 mil aos consumidores lesados. Confira mais detalhes.

Indenização do Serasa revela quem receberá até R$ 30 mil; procure seu nome na lista
Indenização do Serasa revela quem receberá até R$ 30 mil; procure seu nome na lista (Imagem: FDR)

Mais uma vez o vazamento de dados sensíveis afeta os brasileiros, que agora terão direito a indenização do Serasa. E empresa que funciona como um birô de crédito já se manifestou sobre o caso.

Indenização do Serasa

  • Inicialmente a ação foi aberta pelo Instituto Sigilo.
  • Na ação o instituto solicitava uma indenização no valor de R$ 15 mil.
  • Posteriormente o Ministério Público Federal (MPF) solicitou o aumento dessa indenização para R$ 30 mil.
  • A ação foi aberta pelo Instituto Sigilo sob a acusação de comercialização de dados relacionados ao hábito de consumo na internet; histórico de compras; endereços de e-mail.
  • O vazamento incluiu até mesmo dados relacionados à Previdência Social e à Receita Federal.
  • O levantamento do Instituto apontou para um vazamento de dados relacionados aos cartões de crédito e débito de diversos brasileiros.
  • De acordo com o Instituto, foram vazados dados de 223 milhões de brasileiros, incluindo pessoas vivas e mortas.
  • Agora, o Instituto Sigilo lançou um site para o cadastramento dos consumidores que poderão ter direito a essa indenização.
  • O Instituto também foi o responsável pela ação de indenização do Auxílio Brasil.

Serasa se defende das acusações

  • O Serasa afirmou que em 2021 demonstrou a ausência de provas de uma invasão aos seus sistemas e de indícios de vazamento de dados.
  • Os documentos entregues à justiça foram validados por um instituto de perícia respeitado, segundo o Serasa.
  • A empresa também afirmou que o pedido do Ministério Público Federal foi indeferido.
  • O mesmo aconteceu com o pedido do Instituto Sigilo, afirma o Serasa.

Jamille Novaes
Baiana, formada em Letras Vernáculas pela UESB, pós-graduada em Gestão da Educação pela Uninassau. Apaixonada por produção textual, já trabalhou como corretora de redação, professora de língua portuguesa e literatura. Atualmente se dedica ao FDR e a sua segunda graduação.