Juros do empréstimo consignado do INSS é reduzido alegrando o bolso dos beneficiários

Uma medida autorizada nesta semana reduziu as taxas de juros do consignado do INSS para aposentados e pensionistas de todo o Brasil. Agora, o índice que já era considerado um dos menores do mercado, passará de 1,84% para 1,80% ao mês.

Juros do empréstimo consignado do INSS é reduzido alegrando o bolso dos beneficiários
Juros do empréstimo consignado do INSS é reduzido alegrando o bolso dos beneficiários. (Imagem: FDR)

A mudança passará a ser válida nas contratações de empréstimo realizadas a partir da próxima segunda-feira. O índice representa o teto máximo. Ou seja, nenhuma contratação de consignado do INSS deverá ultrapassar a taxa.

Saiba como funciona o consignado do INSS:

  • Contratação de crédito tem como diferencial a cobrança diretamente na folha de pagamento do benefício;
  • Dessa forma, o segurado que realiza um consignado tem o dinheiro descontado mensalmente de forma automática;
  • Com isso, o risco da operação para as instituições financeiras é considerado baixíssimo;
  • Por conta desse fator, elas conseguem oferecer melhores condições para as contratações;
  • A taxa de juros mensal do consignado já é considerada uma das melhores de todo o mercado;
  • Além disso, os segurados que buscam a operação de crédito também podem obter outras vantagens;
  • Entre elas, facilidades no pagamento, que pode ser efetuado em longas parcelas;
  • Além  do empréstimo consignado, o Governo Federal também reajustou a taxa de juros para crédito consignado;
  • A modalidade representa a liberação de um cartão de crédito com cobranças nos mesmos moldes do empréstimo;
  • A operação também teve a taxa de juros reduzida;
  • Com a mudança, índice cobrado saiu de 2,73% para 2,67% ao mês;
  • A medida acompanha a redução nas taxas de juros no Brasil, que tem registrado quedas nos últimos meses;
  • Como as mudanças são válidas para novas contratações, os aposentados ou pensionistas que já possuem operações de crédito vigentes podem renegociar as taxas levando em consideração os novos índices;
  • Processo deve ser feito diretamente com as instituições financeiras.

Confira mais informações sobre os benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social neste link.

Danielle Santana
Jornalista formada pela Universidade Católica de Pernambuco, já atuou como repórter no Jornal do Commercio, Diario de Pernambuco e Folha de Pernambuco. Nos locais, acumulou experiência nas editorias de economia, cotidiano e redes sociais. Possuí experiência ainda como assessora de imprensa.