FGTS anuncia NOVIDADES envolvendo os financiamentos no Minha Casa Minha Vida

Recursos do FGTS serão usados no Programa Minha Casa Minha Vida em 2024. Iniciativa deve contribuir para que centenas de famílias conquistem a casa própria. Valor também deve ser usado em outras áreas.

FGTS anuncia NOVIDADES envolvendo os financiamentos no Minha Casa Minha Vida
FGTS anuncia NOVIDADES envolvendo os financiamentos no Minha Casa Minha Vida (Imagem: FDR)

O Conselho Curador do FGTS aprovou o uso de R$ 117,65 bilhões para algumas ações, entre elas o Minha Casa Minha Vida em 2024. Só para o programa serão destinados o total de R$ 95,85 bilhões.

FGTS destinado ao Minha Casa Minha Vida

  • De acordo com as informações do Ministério das Cidades, a ideia é contratar 339 mil moradias em 2024.
  • O orçamento inicial para o próximo ano supera o valor aprovado inicialmente em 2023, R$ 85,684 bilhões.
  • De acordo com dados do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço o valor total destinado ao programa neste ano foi de R$ 108,957 bilhões.
  • Em 2024 o financiamento habitacional com recursos do FGTS receberá R$ 8,5 bilhões; valor abaixo dos R$ 11,7 bilhões previstos para 2023.
  • Os recursos do FGTS serão usados ainda para saneamento básico e projetos de infraestrutura urbana, no total de R$ 12 bilhões.
  • Para os anos de 2025, 2026 e 2027 o Conselho manteve o orçamento previsto, que destina R$ 117,65 bilhões.
  • O desconto de R$ 9,95 bilhões a cada ano também está mantido.

Novo Minha Casa Minha Vida

  • Na última semana o Novo Minha Casa Minha Vida foi lançado pelo governo federal.
  • A mudança aconteceu na Faixa 1 que passou a contemplar famílias com renda mensal até R$ 2.640; antes da mudança o limite de renda era de R$ 1.800.
  • Para essa Faixa o MDS selecionou um total de 187,5 mil unidades habitacionais em mais de 1,2 mil empreendimentos em 560 cidades.
  • Desse total, 184 mil unidades serão destinadas a famílias que fazem parte dos cadastros habitacionais.
  • Os outros 3 mil serão para as famílias dos estados de São Paulo; Rio Grande do Sul; Pernambuco; Acre e Amapá que perderam tudo por causa da calamidade pública ou por obras federais.

Para saber mais sobre as mudanças no programa, clique aqui.

Jamille Novaes
Baiana, formada em Letras Vernáculas pela UESB, pós-graduada em Gestão da Educação pela Uninassau. Apaixonada por produção textual, já trabalhou como corretora de redação, professora de língua portuguesa e literatura. Atualmente se dedica ao FDR e a sua segunda graduação.