Minha Casa Minha Vida 2024 está com inscrições ABERTAS; veja a documentação necessária

Criado com o objetivo de diminuir o déficit imobiliário no país, o programa Minha Casa Minha Vida facilita o acesso de famílias brasileiras a empréstimos habitacionais. O programa está com inscrições abertas e disponível para várias faixas de renda.

Minha Casa Minha Vida 2024 está com inscrições ABERTAS; veja a documentação necessária
Minha Casa Minha Vida 2024 está com inscrições ABERTAS; veja a documentação necessária. (Imagem: FDR)

Uma das principais vantagens da contratação de um financiamento imobiliário pelo Minha Casa Minha Vida é a baixa taxa de juros. Além disso, o prolongamento das parcelas ajuda as famílias a adequarem o orçamento para a contratação.

Com o relançamento do programa, outra mudança foi o aumento do teto de financiamento. A medida impactou diretamente os imóveis que podem ser adquiridos por meio do Minha Casa Minha Vida.

Outra mudança foi nas faixas de renda, que também foram ampliadas. De acordo com o Governo Federal, a medida busca possibilitar o aumento no número de potenciais beneficiários do programa social.

Confira as faixas de renda do Minha Casa Minha Vida:

A divisão também é realizada de acordo com o local onde o imóvel desejado está localizado. Para o meio urbano, o cálculo leva em consideração a renda mensal.

  • Faixa Urbano 1: renda bruta familiar mensal até R$ 2.640;
  • Faixa Urbano 2: renda bruta familiar mensal de R$ 2.640,01 a R$ 4,4 mil;
  • Faixa Urbano 3: renda bruta familiar mensal de R$ 4.400,01 a R$ 8 mil.

Já para o meio rural, as faixas são calculadas de acordo com a renda anual das famílias.

  • Faixa Rural 1: renda bruta familiar anual até R$ 31.680;
  • Faixa Rural 2: renda bruta familiar anual de R$ 31.680,01 até R$ 52,8 mil;
  • Faixa Rural 3: renda bruta familiar anual de R$ 52.800,01 até R$ 96 mil.

Em ambos os casos, os interessados devem procurar a Caixa para negociar as condições de financiamento. Além disso, é preciso apresentar alguns documentos. Confira a lista:

  • Documento de identidade;
  • CPF;
  • Comprovante de residência;
  • Comprovante de renda e de estado civil;
  • Declaração de imposto de renda (caso não seja isento);

Caso já tenha um imóvel em vista, o cidadão também deverá apresentar outros documentos. São eles:

Para imóveis já construídos:

 

  • Contrato de compra e venda;
  • Certidão de logradouro;
  • Matrícula do imóvel atualizada.

Para imóveis na planta: 

  • Projeto da construção aprovado;
  • Alvará de construção
  • Matrícula da obra;
  • Memorial descritivo da construção;
  • Anotação de responsabilidade técnica (ART);
  • Orçamento;
  • Declaração de esgoto e elétrica;
  • Dados do responsável técnico pela construção.

Saiba mais sobre o programa de financiamento imobiliário neste link.

Danielle Santana
Jornalista formada pela Universidade Católica de Pernambuco, já atuou como repórter no Jornal do Commercio, Diario de Pernambuco e Folha de Pernambuco. Nos locais, acumulou experiência nas editorias de economia, cotidiano e redes sociais. Possuí experiência ainda como assessora de imprensa.