Programa Aluguel Social confirma PIX de R$ 350 para quem não tem casa própria

O Governo de Goiás, por meio da Agência Goiana de Habitação (Agehab), reabriu inscrições para o programa Pra Ter Onde Morar – Aluguel Social. A iniciativa oferece recurso mensal de R$ 350,00 pelo período de 18 meses. Veja os municípios participantes e como ter acesso ao repasse.

Programa Aluguel Social confirma PIX de R$ 350 para quem não tem casa própria
Programa Aluguel Social confirma PIX de R$ 350 para quem não tem casa própria. Imagem: FDR

As regiões que fazem parte do programa são Alexânia, Pontalina, Acreúna, Abadiânia, Paraúna, Caçu, Uruana, Goianápolis, Piranhas, Campos Belos, Ouvidor, Serranópolis, Mozarlândia, Itauçu, Itapuranga, Americano do Brasil, Mara Rosa e Santo Antônio de Goiás.

O Aluguel Social foi criado no final de 2021. A iniciativa foi pensada para oferecer auxílio moradia as famílias que mais precisam. Hoje, o benefício está disponível para mais pessoas, já que o número de cidades atendidas subiu de 66 para 84.

As inscrições acontecem por meio do site www.agehab.go.gov.br. Os requisitos para participar do programa continuam os mesmos: família que mora de aluguel deve ter CadÚnico atualizado, morar há pelo menos três anos no município e não possuir imóvel próprio. Abaixo, veja relação completa:

Requisitos específicos para receber o Aluguel Social

  • Superendividamento;
  • Moradia improvisada;
  • Nome negativado no SPC/Serasa;
  • Vítima de violência doméstica;
  • Idoso;
  • PCD;
  • Família só com pai ou só com mãe;
  • Ter se inscrito para imóvel de programa habitacional no Estado e não ter sido contemplado (tem que estar no sistema da Agehab);
  • Cadastro em programas sociais do Estado de Goiás;
  • Bolsista do Probem ou estudante da UEG.

A alternativa é vista como uma medida vantajosa no sentido de realocar famílias de baixa renda para localidades centrais dos municípios. Um problema, diga-se, bastante falado por núcleos participantes de outros programas sociais do governo.

Vale mencionar, também, que já existem alguns programas similares ao aluguel social nos estados de São Paulo e Paraná. Essas iniciativas, no entanto, têm construções direcionadas aos idosos.

Vittoria Fialho
Jornalista formada pela Universidade Católica de Pernambuco, já esteve como repórter no Diario de Pernambuco e no Portal NE45 Minutos. Nos veículos, fez parte das editorias de redes sociais e esportes. Também acumula experiência na assessoria de imprensa do Clube Náutico Capibaribe. Suas redes sociais são: @vtfialho e [email protected].