Servidores do INSS são pegos de surpresa com decisão do governo

A meta declarada para 2024 pelo ministro da Previdência Social, Carlos Lupi, é que todos os servidores do INSS trabalhem presencialmente nas agências. Atualmente, cerca de 30% a 40% dos servidores não estão em regime de trabalho remoto. Essa mudança visa estabelecer o modelo de trabalho remoto no órgão.

Servidores do INSS são pegos de surpresa com decisão do governo
Servidores do INSS são pegos de surpresa com decisão do governo. (Imagem: FDR)

O ministro da Previdência Social, em audiência na Comissão de Assuntos Sociais do Senado, reforçou sua meta de trazer de volta todos os servidores do INSS às agências, priorizando o contato humano com os beneficiários. 

Essa transição será renovada gradualmente, sem imposições. O trabalho remoto, que se originou na pandemia, será substituído, com o objetivo de atingir 100% dos servidores do INSS operando presencialmente nas agências e gerenciamentos da Previdência no próximo ano.

Para melhorar o atendimento, o ministro tem uma meta adicional: até dezembro, reduzir a fila de concessão de benefícios do INSS para 45 dias. Isso segue a lei do Programa de Enfrentamento à Fila da Previdência Social (PEFPS).

Em algumas áreas do país, os atrasos no agendamento excedem atualmente 200 dias. A intenção é agilizar esse processo essencial para os beneficiários do INSS.

Servidores do INSS traçam meta para redução da fila de espera

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) tomou uma importante decisão que promete cumprir o objetivo de reduzir a fila de espera. A autarquia contabilizou cerca de 637,4 mil segurados aguardando pela perícia médica

Devido à amplitude da fila de espera, o INSS decidiu expandir a liberação do auxílio-doença à distância. Desta forma, o segurado terá a chance de enviar toda a documentação médica pela internet. Para isso, é preciso já ter o exame pericial marcado em uma agência da Previdência Social. 

A fila de espera já se tornou um problema recorrente entre os segurados e a própria Previdência Social. Por isso, o objetivo do INSS é reduzir o período em que os contribuintes aguardam pela análise do benefício. Hoje, esse tempo gira em torno de 180 dias. 

O processo de análise de documentos é agora conduzido de forma totalmente online, podendo ser requisitado através do site do INSS, do aplicativo Meu INSS ou pelo telefone 135.

É essencial observar que a requisição por telefone requer a entrega física dos documentos em uma Agência da Previdência Social (APS) ou via plataforma Meu INSS

A plataforma Atestmed simplifica esse processo, estabelecendo um prazo máximo de 180 dias para a concessão do benefício. Em caso de recusa, é possível solicitar uma nova avaliação após 15 dias.

Além disso, destaca-se que os benefícios baseados em incapacidade por acidentes agora podem ser processados com base apenas na Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT).

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.