Economia avança e brasileiros apontam consequências dessa melhora

Uma pesquisa feita pelo jornal Folha de S. Paulo e divulgada no domingo 17 de setembro mostrou bons índices econômicos. Os entrevistados foram perguntados sobre os impactos que os avanços na economia têm trazido para sua vida. E mostrou um recorde de pessoas que sentiram alguma mudança. 

Economia avança e brasileiros apontam consequências dessa melhora
Economia avança e brasileiros apontam consequências dessa melhora (Imagem: FDR)

De acordo com a pesquisa Datafolha 35% dos brasileiros relatam ter sentido melhora na economia. O levantamento foi feito com 2.016 pessoas em 139 cidades, nos dias 12 e 13 deste mês. O percentual subiu e alcançou recorde na série histórica do Datafolha, e reverte o cenário em que o governo não tinha boa avaliação. 

O que as pessoas pensão sobre a economia

  • Governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) começou o ano com baixa avaliação, em março 23% das pessoas entrevistadas relataram ter sentido melhora na economia do país. A Folha acredita que o primeiro semestre foi de boas surpresas, principalmente com os dados atuais.
  • Agora, 35% dos entrevistados dizem sentir melhora nos índices econômicos. O resultado é 1% maior do que o obtido pelo governo de Jair Bolsonaro (PL) em outubro de 2022. Após as eleições os índices foram caindo, e os pesquisadores acreditam que seja por conta da polaridade política.
  • Expectativa do PIB (Produto Interno Bruto) também subiu, e enquanto o Boletim Focus do Banco Central estimava expansão de 0,8% neste ano, a nova expectativa é de atingir 2,8%. Há instituições que projetam alta acima de 3%.
  • Na pandemia de Covid-19 caiu o total de pessoas que viam crescimento na economia, devido ao fechamento dos comércios e as restrições impostas para minimizar a infecção pelo vírus, os índices caíram. Em setembro de 2021, foram 11% de pessoas declarando ver avanço econômico no país.

Economistas explicam reflexos positivos nos brasileiros

  • A expansão do Bolsa Família, criação do Desenrola Brasil e incentivo ao crédito, são para os economistas ouvidos pela Folha de S. Paulo, as razões que explicam o avanço do otimismo dos consumidores. Eles também destacam a queda na inflação e no preço dos alimentos.
  • Queda na taxa de desemprego também ajuda a melhorar economia, já que no trimestre encerrado em julho o índice de desempregados chegou a 7,9%, sendo a menor taxa desde 2014.
  • Por outro lado, a Datafolha mostrou queda no otimismo dos eleitores de Lula para o futuro da economia. Enquanto em dezembro de 2022 pelo menos 79% responderam que os índices econômicos melhorariam nos próximos meses. Em setembro caiu para 66%.

Lila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: [email protected]