Desenrola Brasil começa a atender um novo grupo; saiba se você faz parte

Focado na redução da inadimplência e do número de negativados no país, o Desenrola Brasil foi lançado oficialmente pelo Governo Federal no último mês de julho. Dividido em etapas, o programa passará a atender um novo grupo em breve.

Desenrola Brasil começa a atender um novo grupo; saiba se você faz parte
Desenrola Brasil começa a atender um novo grupo; saiba se você faz parte (Imagem: FDR)

A partir deste mês de setembro, uma nova faixa de beneficiados poderão fazer parte e renegociar suas dívidas com as instituições financeiras. Agora, passarão a ser beneficiados com as condições especiais de financiamento do Desenrola Brasil os brasileiros que ganham até 2 salários mínimos, o que equivale a cerca de R$ 2.600.

Além disso, o outro critério para a nova faixa é que os futuros beneficiários possuam dívidas de, no máximo, R$ 5 mil. A regra também estabelece que só poderão ser renegociados os débitos contraídos entre janeiro de 2019 e dezembro de 2022.

Entre as condições especiais oferecidas está o parcelamento da dívida em até 60 vezes, com uma taxa de juros de 1,99% ao mês e parcela mínima de R$ 50. Nessa etapa também serão atendidas pessoas que estão cadastradas no CadÚnico.

Apesar de ainda não ter data para acontecer, a expectativa é que a renegociação para essas pessoas tenha início nos próximos dias. De acordo com o Ministério da Fazenda, órgão que está responsável pela execução do Desenrola Brasil, a negociação poderá ser realizada com diversas instituições.

Confira as dívidas que poderão ser negociadas no Desenrola Brasil:

Para tal, as empresas precisam confirmar a adesão ao programa. Esse processo será encerrado no dia 9 de setembro. Somente após a conclusão dessa etapa os consumidores que se enquadram na nova faixa poderão negociar suas dívidas.

A novidade é a possibilidade de negociação com lojas e outros estabelecimentos, além dos débitos nas contas de água e eletricidade que também poderão ser pagas com condições especiais. Até agora, o programa estava negociando apenas débitos com instituições financeiras.

Já estão sendo beneficiadas pessoas físicas com renda de até 2 salários mínimos e que possuem dívidas com bancos. Além deles, também já foram contempladas pessoas físicas com dívidas financeiras negativadas e renda de até R$20 mil.

Danielle Santana
Jornalista formada pela Universidade Católica de Pernambuco, já atuou como repórter no Jornal do Commercio, Diario de Pernambuco e Folha de Pernambuco. Nos locais, acumulou experiência nas editorias de economia, cotidiano e redes sociais. Possuí experiência ainda como assessora de imprensa.
Sair da versão mobile