Farmácia Popular AUMENTA a lista de medicamentos gratuitos; veja como receber

Desde junho deste ano a lista completa de medicamentos gratuitos e com descontos pela Farmácia Popular foi atualizada. Embora já tenha passado dois meses desde as mudanças, ainda há quem desconhece desse serviço e tem comprado remédios que já podem ser resgatados sem pagar nada.

Farmácia Popular AUMENTA a lista de medicamentos gratuitos; veja como receber
Farmácia Popular AUMENTA a lista de medicamentos gratuitos; veja como receber (Imagem: FDR)

A Farmácia Popular é um programa do governo federal que existe desde 2004, passando por atualizações. No governo de Jair Bolsonaro (PL) houve redução de investimentos neste sistema, e o Orçamento que estava previsto para 2023 chegava a cortar quase que 90% das verbas disponíveis para manter esse programa. O que, claro, gerou muita polêmica em torno disso.

Ciente do mau estar que um corte causaria, o governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) conseguiu manter o investimento no programa e ainda aumentar a lista de medicamentos disponíveis. Para que o sistema funcione o governo precisa subsidiar o valor dos remédios em farmácia parceiras. O consumidor resgata o produto de graça, mas a farmácia não deixa de receber, ela é paga com dinheiro público.

Esta parceria tem dado muito certo, e qualquer pessoa que possuir uma receita médica contendo algum medicamento disponível pela Farmácia Popular, pode resgatar o produto. Não é preciso comprovar baixa renda, apenas apresentar o pedido médico. Quem está no Bolsa Família tem acesso a mais medicamentos gratuitos do que os demais.

Lista de remédios disponíveis na Farmácia Popular

Existem duas listas de remédios disponíveis na Farmácia Popular. A primeira oferece medicamentos totalmente gratuitos, e a segunda tem coparticipação, quer dizer, libera descontos e não isenta a cobrança total. No caso dos inscritos no Bolsa Família, até mesmo na segunda lista em que há algum tipo de valor eles não precisam pagar nada.

Basta procurar uma farmácia no seu bairro ou cidade que possua credenciamento pelo programa, e apresentar a receita médica. Inscritos no Bolsa também devem apresentar o cartão do programa ou outra forma de identificação.

Gratuitos para toda a população

  • Asma: brometo de ipratrópio (0,02 mg e 0,25 mg); dipropionato de beclometasona (50 mcg, 200 mcg e 250 mcg); sulfato de salbutamol (100 mcg e 5 mg);
  • Diabetes: cloridrato de metformina (500 mg, com e sem ação prolongada, e 850 mg); glibenclamida (5 mg); insulina humana regular (100 ui/ml); insulina humana (100 ui/ml);
  • Hipertensão: atenolol (25 mg); besilato de anlodipino (5 mg); captopril (25 mg); cloridrato de propranolol (40 mg); hidroclorotiazida (25mg); losartana potássica (50 mg); maleato de enalapril (10 mg); espironolactona (25 mg); furosemida (40 mg); succinato de metoprolol (25 ml).

Com coparticipação (e, agora, também gratuitos para quem recebe Bolsa Família)

  • Anticoncepcionais: acetato de medroxiprogesterona (150 mg); etinilestradiol (0,03mg) + levonorgestrel (0,15 mg); noretisterona (0,35 mg); valerato de estradiol (5 mg) + enantato de noretisterona (50 mg);
  • Dislipidemia (colesterol alto): sinvastatina (10 mg, 20 mg e 40 mg)
  • Doença de Parkinson: carbidopa (25 mg) + levodopa (250 mg); cloridrato de benserazida (25 mg) + levodopa (100 mg)
  • Glaucoma: maleato de timolol (2,5 mg e 5 mg)
  • Incontinência: fralda geriátrica
  • Osteoporose: alendronato de sódio (70 mg)
  • Rinite: budesonida (32 mg e 50 mg); dipropionato de beclometasona (50 mcg/dose)
  • Diabetes tipo 2 + doença cardiovascular (> 65 anos): dapagliflozina (10 mg)

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Lila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: [email protected]