Novas informações sobre Desenrola Brasil ANIMA os credores

O programa Desenrola Brasil, criado com o intuito de promover a renegociação de dívidas dos brasileiros, começou em julho. Completando um mês de funcionamento em todo país e tendo a adesão dos principais bancos, os números sobre os acordos firmados são animadores. A ação deve continuar até dezembro.

Novas informações sobre Desenrola Brasil ANIMA os credores
Novas informações sobre Desenrola Brasil ANIMA os credores (Imagem FDR)

Na última quarta-feira (16), um dia antes da comemoração de um mês de funcionamento do Desenrola Brasil, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) divulgou dados importantes. De acordo com a instituição, os bancos já renegociaram 1,296 milhão de contratos em quatro semanas. O que somou R$ 8,1 bilhões negociados exclusivamente pela Faixa 2.

O programa foi dividido em duas faixas de atendimento. A faixa 1 vai atender pessoas com situação financeira mais vulnerável, são aqueles que estão inscritos no Cadastro Único ou possuem renda mensal de até dois salários mínimos. Para eles as negociações devem começar no próximo mês, setembro, e contar com subsídios e condições especiais oferecidas pelo governo.

A faixa 2, porém, já deu início aos acordos em julho e trata de pessoas físicas com débitos negativados até 31 de dezembro de 2022 e renda de até R$ 20 mil. Neste momento os acordos firmados pelo Desenrola Brasil são exclusivamente relativos a dívidas contraídas em bancos, como cartão, cheque, empréstimo, e outros produtos. Pelo menos 985 mil pessoas já foram beneficiadas.

Como fazer acordos pelo Desenrola Brasil?

O Desenrola Brasil tomou uma proporção maior do que o esperado, embora a projeção do governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fosse de que o programa realmente seria um sucesso. “Os números do Desenrola falam por si e são uma grande satisfação para todos, bancos, governo e a sociedade”, diz em nota o presidente da Febraban, Isaac Sidney.

Ainda nesta primeira fase 5 milhões de pessoas tiveram seus nomes retirados dos órgãos de proteção ao crédito por dívidas de até R$ 100 nos bancos. Isso não significa que o débito não precisa mais ser pago, ele continua pendente, mas não tem poder de “sujar” o CPF do cidadão.

Para quem tem interesse de pagar suas dívidas bancárias, voltar a ter crédito no mercado e receber ofertas de produtos financeiros, deve:

  • Procure o canal do banco em que está com dívida (aplicativo, site ou agência);
  • Encontre a opção de negociação pelo Desenrola Brasil;
  • Confira quais as condições dadas pelo banco para firmar um acordo, os descontos podem chegar a ultrapassar 90% do valor total;
  • Concorde com as condições, e faça o pagamento da parcela.

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Lila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: lilacunha.fdr@gmail.com