Preço dos ALIMENTOS tem ALTERAÇÃO e brasileiros AGRADECEM

Nos últimos anos, os brasileiros sofreram com os altos preços dos alimentos em todo o país. Mas parece que essa situação está mudando desde o início de 2023. Confira os detalhes.

Preço dos ALIMENTOS tem ALTERAÇÃO e brasileiros AGRADECEM
Preço dos ALIMENTOS tem ALTERAÇÃO e brasileiros AGRADECEM (Imagem FDR)

Desde o começo deste ano, os preços de produtos agrícolas como grãos, carnes e legumes e verduras caíram 13,3%, segundo dados do Índice de Preços ao Produtor de Grupos de Produtos Agropecuários (IPPA) do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da Esalq, escola de agricultura da Universidade de São Paulo (USP).

Alimentos ficam mais baratos no país 

Estes dados são do mês de junho e são sobre o comportamento dos preços ao longo do primeiro semestre do ano. O IPPA afere o preço dos alimentos no campo, aos produtores, e não aos consumidores.

Considerando somente o mês de junho, o IPPA teve queda de 2,2%. Levando em conta somente os grãos, a queda foi de 2,9%. 

Já na pecuária, a queda em junho foi de 1,1% e, nos hortifrutis de 2%. Por sua vez, os preços da cana e do café (IPPA-Cana-Café) caíram 2,7%.

Queda nos preços

O Cepea sinaliza para a contribuição dupla tanto da queda nas cotações desses alimentos nos mercados internacionais quanto da perda de força do dólar frente ao real.

“No cenário internacional, houve queda de 1,4% nas cotações dos alimentos [em junho], cujo índice é divulgado pela FAO, e de 2,6% na taxa de câmbio oficial (US$/R$), divulgada pelo Banco Central”, disse o Cepea em nota publicada pela CNN Brasil.

A FAO é o braço da ONU (Organização das Nações Unidas) para Alimentação e a Agricultura. 

A ONU é uma organização intergovernamental criada para promover a cooperação internacional. Uma substituição à Liga das Nações, a organização foi estabelecida em 24 de outubro de 1945, após o término da Segunda Guerra Mundial, com a intenção de impedir outro conflito como aquele. 

Ao levar em consideração o desempenho dos alimentos no primeiro semestre, os preços internacionais também tiveram uma queda acumulada de 16,2%, ao passo que a taxa de câmbio ficou 0,1% abaixo do patamar detectado no mesmo período do ano passado, segundo o Cepea.

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.