Apostas esportivas devem ter importante NOVIDADE nos próximos dias

As casas de apostas esportivas ganharam grande destaque nos últimos anos aqui no Brasil. Basta ligar a televisão em qualquer partida de futebol que você irá se deparar com diversos anúncios, seja no estádio, seja na camisa dos times, e até nas transmissões. Porém, diversas polêmicas obrigaram o Governo a preparar mudanças.

Apostas esportivas devem ter importante NOVIDADE nos próximos dias
Apostas esportivas devem ter importante NOVIDADE nos próximos dias (Imagem: FDR)

MP das Apostas Esportivas

Uma Medida Provisória (MP) que trata da regulamentação do setor das apostas esportivas, está próxima de ser despachada. Ela trata sobre assuntos como a tributação da atividade e a definição de sanções a empresas de apostas que descumprirem regras.

Depois do recesso do Congresso, a ideia é de que seja trabalhado um Projeto de Lei (PL) para tratar de temas mais espinhosos, como processos de aplicação das sanções e da estrutura da tributação. A previsão do governo é arrecadar mais de R$ 6 bilhões por ano. Também há a perspectiva de retornar com algumas iniciativas, como a Lotex, uma loteria instantânea conhecida como “raspadinha”.

Em edição extra do Diário Oficial da União de terça (18), a MP cria cargos para a nova Secretaria de Apostas e Loterias, no âmbito do Ministério da Fazenda.

Fabiano Jantalia, sócio-fundador do Jantalia Advogados e especialista em Direito de Jogos, vê a regulamentação de setores econômicos, como o de apostas esportivas, não uma questão do governo, mas sim, uma questão do Estado. “O governo, ao que parece, está aparentemente se baseando na premissa de que grande parte dos operadores de apostas esportivas vão se estabelecer no Brasil. Para isso, o Marco Regulatório precisa ser minimamente convidativo e ter uma estrutura de incentivos para os agentes que seja factível”, explica Jantalia.

Apostas contribuem para a economia

Para você ter uma noção do volume econômico, as apostas esportivas movimentam dezenas de bilhões de reais ao ano. Com a regulamentação, a estimativa é de mais de R$ 6 bilhões por ano. Isso trará equilíbrio fiscal ao País e possibilidades na geração de empregos dentro do setor.

Tiago Gomes, sócio do Ambiel Belfiore Gomes Hanna e especialista em Regulação de Jogos e Apostas acredita que sem a regulamentação, o governo fica impedido de arrecadar recursos que são importantes na perspectiva do equilíbrio fiscal, mas também na disposição de instrumentos que minimizem e fiscalizem manipulação de resultados, jogo patológico e lavagem de dinheiro.

Mais que benefícios para o Estado e para os apostadores, a regulamentação também promete um ambiente mais propício para o próprio operador dos sites e casas de apostas, conforme explica Tiago Gomes. “Isso acontece porque ele passa a ter mais transparência quanto aos requisitos para se operar legalmente no país, balizando de maneira objetiva aqueles que poderão seguir operando e aqueles que, por não atenderem os requisitos na regulação, não poderão fazê-lo”, finaliza Gomes.

Victor Barboza
Meu nome é Victor Lavagnini Barboza, sou especialista em finanças e editor-chefe do FDR, responsável pelas áreas de finanças, investimentos, carreiras e negócios. Sou graduado em Gestão Financeira pela Estácio e possuo especializações em Gestão de Negócios pela USP/ESALQ, Investimentos pela UNIBTA e Ciências Comportamentais pela Unisinos. Atuo no mundo financeiro desde 2012, com passagens em empresas como Motriz, Tendere, Strategy Manager e Campinas Tech. Também possuo trabalho acadêmicos nas áreas de gestão e finanças pela Unicamp e pela USP. Ministro aulas, cursos e palestras e já produzi conteúdos para diversos canais, nas temáticas de finanças pessoais, investimentos, educação financeira, fintechs, negócios, empreendedorismo, psicologia econômica e franquias. Sou fundador da GFCriativa e co-fundador da Fincatch.